A política de imigração do governo estadunidense tem causado e essa semana a notícia de crianças separadas das famílias inundou nossa TL. Você já passou esse assunto a limpo?

 

13 de julho de 2018

 

A política de imigração estadunidense quase soa como um roteiro de filme. Crianças separadas das famílias, luta política pela construção de grandes muros, campo de concentração e áudios vazados. Coloque alguns corredores e poderíamos estar falando de Maze Runner. Mas como o Trumpzinho gosta de nos proporcionar notícias polêmicas, estamos falando do que vêm acontecendo há algum tempo nos Estados Unidos mas que explodiu na mídia mais recentemente.

Mesmo sem a agitação, robôs, tiros e fugas, o roteiro ainda daria um bom filme: crianças estão sendo separadas de suas famílias que tentam entrar no país ilegalmente. Grandes organizações de intenções duvidosas se mostraram veementemente contra, veja ONU, o Vaticano e até a Primeira Dama!

Mas afinal, o que pode e o que não pode nessa história de imigração?

Fique conosco e tire suas dúvidas sobre esse assunto.

Isso é novidade?

A política de imigração estadunidense quase soa como um roteiro de filme.

É. Mas também não é!

Pra gente tentar entender como isso é uma novidade antiga vamos ter que voltar alguns anos.

Mesmo na época do supercool Barack Obama, os Estados Unidos empregavam a política de “concentrar” as crianças encontradas desacompanhadas dos pais/familiares/guardiões (porém a Lei data do período Bush). Tuteladas pelo Acordo de Assentamento Flores, todas as crianças encontradas desacompanhadas eram, tal como as crianças das notícias recentes, levadas para abrigos sob custódia do governo.

Até aí ok… Mais ou menos!

Haviam algumas diferenças para os casos de agora, e outras diferenças de funcionamento interno. Em relação ao funcionamento, o governo estadunidense fazia diferenciação entre as crianças imigrantes (é, vindo dos Estados Unidos, isso é muito surpreendente!).

Crianças com tequila nas mochilas eram simplesmente devolvidas ao México. Crianças de outros países reincidentes nas tentativas de adentrar os Estados Unidos (Honduras por exemplo) eram encaminhadas à abrigos como esses. Justificava-se que essas outras crianças vinham para o país fugindo de situações piores, aparentemente diferente das mexicanas, em busca de algum parente.

A diferença mais recente faz sentido legalmente falando, apesar da crueldade, e também não faz sentido!

Sim, nós somos furtivos!

Vou explicar:

A antipatia de Trump com a imigração não é novidade, mas o poder de colocá-la em prática é. A principal mudança que seguiu-se nesse caso é em relação aos pais das crianças. A política de imigração de Tolerância Zero.

Como um criminoso comum, os adultos são enviados à cadeia ou a um centro de detenção de imigrantes. Como por motivos óbvios as crianças não podem acompanhar os pais nesse passeio, elas são entregues à tutela do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, operador dos abrigos.

É uma dor de cabeça que o governo criou para ele mesmo ao endurecer a política de tratamento aos imigrantes. Parece ser claro que as crianças não podem ir à cadeia, mas absurdo separá-las dos pais da forma que tem sido feito até a conclusão do processo criminal. Ainda mais quando o próprio governo admitiu que não tem um plano para reunir novamente essas crianças com suas famílias.

Como são esses abrigos?

 Fonte: < https://tnonline.uol.com.br/noticias/regiao/32,464791,02,04,moradores-de-bairro-em-londrina-reclamam-de-acampamento-cigano.shtml>

Tá, não é como esse aí em cima…

Pelo menos em referência ao que é divulgado, esses abrigos contam com toda a crueldade de uma escola pública brasileira. Lugares cheios de crianças obrigadas a ficar onde não querem. A diferença é que aqui eventualmente as crianças voltam para suas casas, onde os pais passam o restante do dia ansiosos para empurrá-las para a escola novamente.

A estrutura dos abrigos estadunidenses aliás, variam nesse sentido: podem ser também escolas antigas, prédios de mercados, prédios novos ou acampamentos improvisados no melhor estilo militar. Dentro desses abrigos as crianças contam com aulas de inglês e educação básica.

Ao que se sabe toda a situação é explicada a elas. Mas vale dar ênfase na crueldade da situação. Não estamos falando apenas de adolescentes de 16 ou 17 anos que falam ou tem boa noção de inglês. Estão inclusos aí crianças de 3, 4, 5 anos… Analfabetos e que não tem a menor ideia de como dizer bom dia em outra língua. Já vimos notícias de as mais novas nem reconheciam os pais!

Além do fato de que, explicar a uma criança o porquê ela está separada dos pais/familiares por qualquer questão “legal” já é uma guerra por si só. Já tenho certa idade, entendo como algumas pessoas chegam ao Congresso Nacional, mas confesso que é muito difícil entender como elas continuam e ninguém dá pauladas nos seus joelhos (não legalmente falando). Enfim… Leis!

Qual a ideia por trás disso?

Tem uma frase de Jefferson Beauregard Sessions III que mostra bem a intenção de tudo isso. Aliás, o dono desse simpático nome, carinhosamente chamado apenas de “Jeff Sessions”, é nada menos que Procurador Geral dos Estados Unidos e o cara que aprovou as esse conjunto de medidas políticas.

Segundo ele: “Se você não quer ser separado dos seus filhos, não os traga para cruzar a fronteira ilegalmente”.

Nos entendemos? A ideia é justamente colocar medo nos puladores de cerca. Já existem políticas de imigração, legislação e punições bem definidas a respeito de imigrantes ilegais nos Estados Unidos, praticamente qualquer pessoa do mundo sabe do risco dessa aventura, porém ainda se arriscam. Além de endurecer leis que já existiam (e aparentemente não intimidavam ninguém), agora também existe uma clara intenção de amedrontar as pessoas que se arriscam com a possibilidade de ter sua família separada.

E, como já foi dito ali em cima, isso não é ilegal e nem novidade. Está previsto nas leis estadunidenses para quem quiser ver. O mundo pode discutir aspectos humanos, sociais, éticos, morais, e o capiroto a quatro, mas não sua legalidade.

Vamos aos números sobre a imigração

 Fonte: <https://www.mega-sena.org/noticias/como-essas-pessoas-decifraram-o-sistema-das-loterias>

 Como apenas nas últimas semanas as notícias relativas a separação e aos abrigos ganharam maior destaque, o número que mais vimos girou em torno de 2.000 a 2.300 crianças. Bem, acontece que esses números dizem respeito apenas às últimas semanas. Estima-se que pelos menos 10.000 crianças se encontrem nessa situação.

Entre as 10.000, ao menos 50 são brasileiras. Aqui podemos tirar a mira do Trump e colocar no nosso vampirão. Na última semana, apesar de não mostrar muito sucesso, Temer abordou o assunto com o vice presidente estadunidense Mike Pence. Rolou aquele papo político e aquelas frases para a imprensa de que “blá, blá blá… dentro dos limites poderiam trabalhar juntos”. Veremos!

Dentro das conversas nosso chefe inclusive sugeriu que poderia mandar buscar as crianças, não atravessando nenhuma lei estadunidense. Duvido que ele mandaria seu avião cheio de HÄAGEN DAZS, mas enfim!

Só entrei nesse assunto para ressaltar um outro aspecto a respeito dessa política de tolerância zero. Apesar de tudo, as crianças não estão detidas, elas se encontram nesses abrigos apenas porque (segundo o que é divulgado) seus pais se encontram presos. Logo, se os pais, mesmo ainda no meio do processo criminal autorizarem que seus filhos sejam devolvidos ao país de origem, eles serão. A separação continua, mas pelo menos o governo pode se defender dizendo que se qualquer criança se encontra naquela situação, a culpa não é dele.

As crianças também podem ser entregues a responsáveis dentro dos Estados Unidos, desde que completo todos os requisitos legais.

Como está agora?

 

Fonte: < https://www.diariodocentrodomundo.com.br/a-estranha-saga-do-juiz-que-processou-um-condominio-porque-queria-ser-chamado-de-doutor/>

Agora o bicho pegou. Pelo menos até onde as coisas podem ficar feias para eles. Se for como no Brasil, alguém vai continuar rico, mas sob o inconveniente de ler algumas mensagens mal educadas em redes sociais. Pois é…

Lá, um cara chamado Dana Sabraw (juiz) determinou que até a última terça todas as crianças de até cinco anos deveriam ser liberadas dos abrigos e unidas aos pais, e mais! Disse que até o dia 26 desse mês TODAS as crianças deveriam seguir o mesmo caminho, independente da idade.

E o que aconteceu? No melhor estilo brasileiro, o governo simplesmente admitiu que não conseguiria cumprir o prazo, mas que até hoje (quinta-feira) pelo menos a molecada mais nova estaria liberada.

 Não rolou de novo… E o mais legal, o prazo dado por Dana vence as 15h de hoje (12/07). (Até o momento sem maiores novidades).

Mas nem tudo são decepções. Ou meias decepções. Nem o Trumpzinho pode fugir às ordens judiciais (o que me surpreende, acho que é costume de Brasil…), logo algumas famílias estão sim sendo “soltas” e reunidas com as crianças.  As crianças aliás, ajudam nesse processo.

Só há um detalhe, os adultos são liberados apenas mediante o uso de tornozeleiras, daquelas que servem para rastrear criminosos, e que nos Estados Unidos marcam muito as pessoas de forma negativa (pedófilos por exemplo). Já podemos imaginar que as tornozeleiras também estão gerando polêmicas, mais uma no meio de todas da política de imigração estadunidense.

E vai ficar por isso?

Aí só podemos fazer previsões, e como recentemente eu percebi que os meus palpites dos bolões da Copa do Mundo são tão eficientes quanto meus conhecimentos de física, vou deixar para lá.

Mas do que vimos, algumas coisas ficaram evidentes, como denúncias ou surpresas. Além do próprio absurdo que são as separações, houveram denúncias de famílias que foram separadas mesmo estando lá LEGALMENTE.

Do lado surpreendente, vimos que a gestão do “homem” também sofre, sente e principalmente, cede à pressão. Amadores… Aprenderiam muito com o Temer.

Mais capítulos com certeza virão, e após domingo, sabemos que o espaço para notícias aumentará muito.

E nesse caso? Concordam com a aplicação da Lei ou cada caso é um caso?

Deixe sua opinião aí embaixo sobre a imigração.

Ótima leitura!

Tutor Matheus De Marchi

Referências:

https://g1.globo.com/mundo/noticia/entenda-a-politica-de-separacao-de-criancas-imigrantes-que-causa-polemica-nos-eua.ghtml
https://g1.globo.com/mundo/noticia/trump-assina-ordem-sobre-familias-deimigrantes-separadas.ghtml
http://www.dw.com/pt-br/o-futuro-incerto-das-crian%C3%A7as-separadas-dos-pais-na-fronteira-dos-eua/a-44309919
https://www.vice.com/pt_br/article/mbkpyq/centros-detencao-criancas-imigrantes-eua
https://g1.globo.com/politica/noticia/embaixador-diz-que-temer-esta-disposto-a-mandar-buscar-criancas-separadas-das-familias-nos-eua.ghtml
https://www.terra.com.br/noticias/mundo/eua-precisam-provar-a-juiz-que-reuniram-criancas-imigrantes-abaixo-de-5-anos-com-pais,355c2158cecb7952e79fb23cf91f4cd6kcpl90q4.html
imagem destacada: < https://excentricopsicopata.wordpress.com/2015/08/06/10-semelhancas-entre-escolas-e-presidios/>

 

 

 

 

 

 

13 de julho de 2018

 

Comentários

  • ROBERTO jul 14, 2018

    CADA GOVERNO SOBERANO, TEM O DIREITO DE LEGISLAR QUANTO À IMIGRAÇÃO, SEM TER DE DAR SATISFAÇÃO AOS QUE QUEREM METER O BICO NA CASA DOS OUTROS.

  • Maxi Educa jul 16, 2018

    Bom dia Roberto. Agradecemos sua participação em nosso post deixando aqui o seu comentário. De fato cada governo tem o direito de fazer suas leis de acordo com as suas necessidades. Acompanhe-nos nas redes sociais. Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

Comente, sugira e participe:

 

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado