Você sabe o que é lúdico? E qual a importância dele no aprendizado?

 

31 de agosto de 2017

 

O lúdico é um termo usado para a tudo aquilo que é relacionado a jogos no processo de ensino aprendizagem. O Dicionário Aurélio traz como significados para a palavra Lúdico aquilo que é: relativo a jogo ou divertimento; que serve para divertir ou dar prazer. Segundo Luckesi, são aquelas atividades que propiciam uma experiência de plenitude, em que nos envolvemos por inteiro, estando flexíveis e saudáveis. Para Santin, são ações vividas e sentidas, não definíveis por palavras, mas compreendidas pela fruição, povoadas pela fantasia, pela imaginação e pelos sonhos que se articulam como teias urdidas com materiais simbólicos. Assim elas não são encontradas nos prazeres estereotipados, no que é dado pronto, pois, estes não possuem a marca da singularidade do sujeito que as vivencia.

Função das atividades lúdicas no desenvolvimento interno

O lúdico é um termo usado para a tudo aquilo que é relacionado a jogos no processo de ensino aprendizagem.

fonte: http://www.ijui.com

A compreensão sobre as atividades lúdicas, especialmente sobre a sua constituição sócio-histórica e sobre os seus papéis na vida humana, tem origem em várias áreas do conhecimento. Assim, existe uma história do brinquedo, uma sociologia do brinquedo, um estudo folclórico do brinquedo, um estudo psicológico do brinquedo… Desses estudos, retiramos algumas conclusões que nos ajudaram e nos ajudarão a compreender o papel e uso das atividades lúdicas na vida humana, estamos em busca de compreender como, possivelmente, pode dar-se e operar internamente no sujeito a vivência das experiências lúdicas.

É importante lembrar que as crianças passam grande parte do seu tempo dentro das salas de aulas, e acrescentar nesse período atividades lúdicas, auxilia promovendo um melhor processo de ensino aprendizagem. Tornar esse ambiente enriquecedor e cheio de estímulos faz com que a motivação se torne presente e a disciplina seja valorizada, dessa forma elas irão explorar o meio com mais atenção a fim de que sirva para a abertura e melhor compreensão de sua mente.

Pinto, reforça que é necessária que se faça uma seleção dos brinquedos de acordo com cada faixa etária, para que dessa forma facilite o aprendizado do conteúdo daquela série.

É através desse contato e interação com os brinquedos que o aluno se prepara para o seu futuro, na sua vida na comunidade, sociedade e para o mundo. O brinquedo nunca deve ser manipulado pelos professores como prêmio ou bronca, mas sim, como um elemento importante para o desenvolvimento da criança.

O professor tem o papel de não apenas fornecer os brinquedos, mas também participar no processo de ludicidade, pois é através do exemplo, regras e alternativas propostas pelo docente que ajudam o aluno a se orientar melhor e ter um ponto para se espelhar.

A cultura antiga e a ludicidade

fonte: http://www.dailymotion.com

Alguns professores e pais ainda acreditam que o brincar na educação é um momento de descontração que não serve de aprendizado e as rotulam de “violência”, “agressividade”, “futilidade”, “fugacidade”, “perda de tempo”, “barulhentas” e “anárquicas.

A ludicidade no passado dos adultos de hoje (crianças de ontem) é a ludicidade no presente nas crianças de hoje, são através desses processos lúdicos que são construído as personalidade do aluno, onde essa ludicidade se transforma em alguns jogos, brinquedos e brincadeiras, e mudam-se as vontades, mas o impulso persiste, se materializa no cotidiano, mas é sempre atemporal.

O lúdico através do jogo

fonte: https://benediretor.wordpress.com

O objetivo principal do jogo como atividade lúdica é proporcionar ao indivíduo que está jogando, conhecimento de maneira gratificante, espontânea e criativa não deixando de ser significativa independente de quem o joga, deixando de lado os sistemas educacionais extremamente rígidos.

Trabalhar com os jogos na sala de aula possibilita diversos objetivos, dentre eles, foram pontuados os seguintes:

– Desenvolver a criatividade, a sociabilidade e as inteligências múltiplas;

– Dar oportunidade para que aprenda a jogar e a participar ativamente;

– Enriquecer o relacionamento entre os alunos;

– Reforçar os conteúdos já aprendidos;

– Adquirir novas habilidades;

– Aprender a lidar com os resultados independentemente do resultado;

– Aceitar regras;

– Respeitar essas regras;

– Fazer suas próprias descobertas por meio do brincar;

– Desenvolver e enriquecer sua personalidade tornando-o mais participativo e espontâneo perante os colegas de classe;

– Aumentar a interação e integração entre os participantes;

– Lidar com frustrações se portando de forma sensata;

– Proporcionar a autoconfiança e a concentração.

Nota-se também um entusiasmo maior sobre o conteúdo que está sendo trabalhado por haver uma motivação dos educandos em expressar-se livremente, de agir e interagir em sala de aula. Mas lembrando de sempre que os jogos devem estar devidamente associado aos conteúdos e aos objetivos dentro da aprendizagem, auxiliando a parte teórica, tornando o ensino mais prazeroso apresentando opiniões para crescer ainda mais o trabalho dos profissionais da área da educação.

Diante de tal objetivo, os jogos escolhidos pelos educadores para trabalhar precisam ser estudados intimamente e analisados rigorosamente para serem de fato eficientes, porque os jogos que não são testados e pesquisados não terão seu exato valor, tornando-se ineficazes, obviamente, uma atividade lúdica nunca deve ser aplicada sem que tenha um benefício educativo. O professor pode criar seus próprios jogos, a partir dos materiais disponíveis na instituição de ensino em que leciona ou até mesmo na sala de aula, porém precisa atentar para a forma de como serão trabalhados, não esquecendo os objetivos e o conteúdo a ser desenvolvido. O educador precisa ter muito mais força de vontade, criatividade, disponibilidade, seriedade, competência que dinheiro para construir um jogo.

Pode-se dizer sem sombra de dúvida que o lúdico é importante sim para uma melhoria na educação e no andamento das aulas, provocando uma aprendizagem significativa que ocorre gradativamente e inconscientemente de forma natural, tornando-se um grande aliado aos professores na caminhada para bons resultados.

E que é dever do professor mudar os padrões de conduta em relação aos alunos, deixando de lado os métodos e técnicas tradicionais acreditando que o lúdico é eficaz como estratégia do desenvolvimento na sala de aula.

Espera-se que esta proposta de abordagem vá de encontro com o que foi proposto realizar, e essencialmente, que seja de suporte para professores que já atuam no ambiente escolar, e aos futuros professores a tornar suas aulas mais dinâmicas fazendo com que a sala de aula se transforme num lugar prazeroso, construindo a integração entre todos que a frequentam.

E então? Gostou do nosso post de hoje?

Deixe aqui seu comentário e mais sugestões que teremos grande prazer em lhe atender

 Referências bibliográficas

http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2009/anais/pdf/1881_1456.pdf
https://www.ufrgs.br/soft-livre-edu/pedagogiadobrincar/o-que-e-ludicidade/
LISBOA, M. A importância do lúdico na aprendizagem, com auxílio dos jogos.
LUCKESI, Cipriano Carlos. Educação, ludicidade e prevenção das neuroses futuras: uma proposta pedagógica a partir da Biossíntese. In: LUCKESI, Cipriano Carlos (org.) Ludopedagogia – Ensaios 1: Educação e Ludicidade. Salvador: Gepel, 2000.
PINTO, Marly Rondan. Formação e aprendizado no espaço lúdico. 2º edição. São Paulo: Artes & Ciências, 2003.
SANTIN, Silvino. Educação física: da opressão do rendimento à alegria do lúdico. Porto Alegre: Edições EST/ESEF – UFRGS, 1994.
https://www.educamundo.com.br

Tutor: Renan Costa da Silva

 

31 de agosto de 2017

 

Comente, sugira e participe:

 

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado