APROVEITE A CHEGADA DA APOSENTADORIA DE RAÚL CASTRO E ATUALIZE-SE NA GEOGRAFIA MUNDIAL DESCOBRINDO QUAL SERÁ O FUTURO DE CUBA

 

27 de abril de 2018

 

Com a aposentadoria de Raúl Castro, Cuba se prepara para ser governada, pela primeira vez desde a revolução, por alguém de fora dessa família de revolucionários.

Falando nisso… Você conhece a história de governo da ilha caribenha???

Se a resposta foi Não, vou te ajudar a refrescar a memória…

Com a aposentadoria de Raúl Castro, Cuba se prepara para ser governada, pela primeira vez desde a revolução, por alguém de fora dessa família de revolucionários.

Disponível em: https://br.blastingnews.com/curiosidades/2017/09/video/saiba-quais-novelas-da-globo-jamais-serao-exibidas-no-vale-a-pena-ver-de-novo-004678601.html.

Após comandar o país por quase 50 anos, Fidel Castro passou o comando de Cuba para seu irmão e colega de luta armada, Raúl Castro.

Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/

Juntos, os irmãos Castro passaram quase 60 anos como líderes da ilha. A marca que deixaram no país, transformado num Estado comunista de apenas um partido, é impossível de apagar.

No entanto, uma virada se aproxima. Depois da morte de Fidel Castro, no fim de 2016, agora será a vez de Raúl Castro deixar a Presidência do país.

Mas será mesmo que Cuba será governada por outra pessoa, que não um dos irmãos, pela primeira vez desde 1959???

Vamos entender o que há por trás dos holofotes…

Dia 19 de Abril deste ano terminou o mandato de Raúl Castro, que passou o cargo a seu sucessor, Miguel Díaz-Canel.

No entanto, o que muitos desconhecem é que Raúl sai de cena, porém não deixa o poder em Cuba.

Como bom ditador, Raúl deixa o mandato, mas continua à frente do Conselho de Estado, mantendo a liderança militar e do partido.

No meio partidário é o que chamamos de Manipulação Casuística.

Como exemplo disso podemos observar o outdoor abaixo, com a imagem de Raúl Castro, na cidade cubana de Pedro Pi, que diz o seguinte:

“Sim, se pôde, se pode e se poderá”.

Referido texto faz alusão à continuidade do regime, apesar da troca de presidente.

Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/paineldoleitor/2018/04/joaquim-barbosa-e-um-fortissimo-candidato-a-presidencia-afirma-leitor.shtml.

Um pouco sobre o Governo de Raúl Castro

Disponível em: https://www.globalresearch.ca/did-raul-castro-just-reverse-the-entire-cuban-revolution/5420584.

Raúl foi responsável por medidas de abertura econômica e agiu de maneira efetiva para melhorar as relações diplomáticas da ilha.

Podemos destacar alguns fatos desse governo histórico de Raúl:

Reaproximação com os Estados Unidos

Disponível em: https://www.diariocachoeirinha.com.br

Após 18 meses de negociações secretas, Raúl e o então presidente norte-americano Barack Obama anunciaram a reaproximação diplomática entre os dois países. As nações haviam rompido relações em 1961, com a imposição do bloqueio econômico por parte dos EUA.

A reaproximação, que teve como um dos principais mediadores o papa Francisco, proporcionou fatos históricos como a ida de Raúl aos EUA para participar da Assembleia Geral da ONU; a libertação de presos políticos cubanos nos EUA; a retirada da ilha da lista norte-americana de países patrocinadores de terroristas; o hasteamento da bandeira cubana em Washington, após 54 anos, e a dos EUA em Havana durante a visita de John Kerry, que se tornou o primeiro secretário de Estado norte-americano a visitar o país em sete décadas.

http://operamundi.uol.com.br

Em março de 2016, no auge dos movimentos de reaproximação, Obama foi a Cuba, na primeira visita de um chefe de Estado norte-americano à ilha em 88 anos.

No entanto, em junho de 2017, o governo do atual presidente, Donald Trump, recuou em várias medidas alcançadas pelos governos de Raúl e Obama. As reversões não chegaram a representar uma nova ruptura diplomática, mas sim a suspensão de alguns termos acordados em 2014.

Disponível em: https://www.nytimes.com/2017/01/10/opinion/can-donald-trump-and-raul-castro-make-a-good-dea.

Porto de Mariel

Foi durante o governo de Raúl que se inauguraram as obras do porto de Mariel, que se tornou um dos maiores terminais de importação e exportação do Caribe e um símbolo da colaboração econômica entre Brasil e Cuba.

China

As relações diplomáticas e econômicas entre Cuba e China chegaram ao seu ponto alto durante o mandato de Raúl. Apenas em 2014, o governo chinês assinou 29 acordos econômicos com a ilha, envolvendo as áreas de biotecnologia, agricultura, infraestrutura e energias renováveis.

Em 2017, o diretor-geral do Departamento de Assuntos da América Latina e Caribe da China, Zhu Quingqiao, afirmou que os vínculos entre Havana e Pequim estavam em sua melhor etapa histórica e destacou que “Cuba possui vantagens comparativas em relação a outras nações da região, sobretudo no setor da medicina, pelo qual a China deseja ampliar, ainda mais, os laços nessa área”.

Mais médicos

Símbolo de uma parceria bem sucedida entre Brasil e Cuba, o programa Mais Médicos teve início em 2013, quando o governo cubano – comandado justamente por Raúl Castro – enviou aproximadamente 4.000 profissionais da saúde para trabalharem em municípios brasileiros.

De acordo com relatório da ONU divulgado em 2016, o programa trouxe benefícios ao Brasil e poderia ser adotado por outros países. Segundo as Nações Unidas, “o projeto é replicável e é potencialmente benéfico para qualquer país que decida adotá-lo”.

Paz na Colômbia

O governo de Raúl desempenhou um papel fundamental no processo de paz entre o governo colombiano e as então Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC). Havana foi palco por quatro anos de uma série de reuniões envolvendo diplomatas e dirigentes de ambos os lados.

Além disso, o Cuba nomeou Rodolfo Benítez, funcionário do governo cubano, para se mediador dos diálogos de paz. Em 2016, o acordo foi finalmente oficializado em cerimônia formal realizada na capital cubana, com a presença do presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, dos dirigentes da FARC e de diversos líderes latino-americanos.

Reforma política

Mudança estrutural ocorrida no governo cubano, a reforma política proposta pelo presidente Raúl Castro e levada a cabo em votação na Assembleia Nacional alterou o tempo do mandato presidencial em Cuba. De acordo com a lei aprovada em 2013, o mandato do presidente deve durar cinco anos, sendo permitida a reeleição.

“Deve ser garantida na linha de frente do poder estatal e governamental a unidade executiva frente a qualquer contingência pela perda do líder, de modo que se preserve, sem interrupções de nenhum tipo, a continuidade e a estabilidade da nação”, afirmou o líder cubano à época.

Estabilidade política e econômica

A partir de 2008, Raúl iniciou um processo de maior flexibilização econômica em Cuba, dando mais abertura ao trabalho privado e aos investimentos estrangeiros. Atualmente há mais de meio milhão de pessoas trabalhando por conta própria no país, o que permitiu que a ilha diversificasse a oferta de bens e serviços com maior nível de qualidade.

Transição de Governo para Díaz-Canel: O “Lindo” fará o que Raúl Castro mandar!!!

Disponível em: http://www.latimes.com/world/la-fg-cuba-diaz-canel-20180419-story.html.

Referido por muitos como “Lindo”, ou “Jovem”, Miguel Díaz-Canel, o novo presidente de Cuba, com estampa de galã sênior, promete que o ditador aposentado terá a palavra final em tudo; e que ele certamente vai cumprir.

Com seus olhos azuis e vasta cabeleira grisalha, teve um único voto que contou para ascender ao novo cargo: o de Raúl Castro.

Especula-se que, além da fidelidade, ou “raulidade”, o jeitão de galã veterano de novela contou pontos a favor da sua escolha.

A imagem de Díaz-Canel foi construída nos últimos anos como um político progressista, aquele que anda de bicicleta, utiliza internet e aparelhos eletrônicos e digitais, usa bermuda, e apoiou um centro cultural voltado ao público LGBT, que foi alvo de protestos, mas que passou toda a vida pública defendendo os princípios da revolução.

Miguel Díaz-Canel é visto por Raúl Castro como um funcionário fiel ao Partido Comunista. Por isso foi escolhido a dedo para ser o sucessor. No discurso, o último Castro enfatizou que a escolha se deu depois de um longo processo.

Na imagem abaixo Raúl Castro desce as escadas da Assembleia Nacional sob aplausos do novo presidente.

Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br

Raúl Castro disse que nada foi feito de improviso e que, ao longo dos anos, Díaz-Canel tem mostrado maturidade, capacidade de trabalho, solidez ideológica, fidelidade política e compromisso com a revolução.

Agora só nos resta esperar para sabermos a continuidade da história de Cuba…

Eu estarei aqui assistindo tudo de camarote e prometo passar as novidades para vocês!!!

Até nosso próximo encontro!

 

 Tutora Angélica M. B. Calil.

Imagem destacada disponível em:

https://br.sputniknews.com/americas/2017122110121698-raul-castro-fora-presidencia-cuba/.

27 de abril de 2018

 

Comente, sugira e participe:

 

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado