Conheça os 07 segredos dos aprovados em concursos públicos que podem te levar à aprovação

Por Maxi Educa 28 abr 2017 - 17 min de leitura
17 min

Concursos públicos e os sonhos….

A maioria das pessoas buscam a tão sonhada estabilidade financeira através da sua aprovação em concursos públicos. Mas, afinal qual é a grande fórmula para alcançar esse desejo? Já adianto logo de cara, que não adianta contar apenas com a sorte e muito menos com magia ou milagre. A seguir você vai conhecer métodos que realmente podem te ajudar nessa caminhada!

Estabilidade financeira

 

01. Defina uma meta. Não “atire para todos os lados nos concursos!”

 

Um dos maiores erros do concurseiro é acreditar que deve prestar todos os concursos que são abertos. Porém, para cada concurso há um nível diferenciado de exigência, bem como um conjunto de matérias. Se você estudar para vários concursos, correrá o risco de ter que estudar muito e, no final, ter um conhecimento raso sobre tudo.

Imagine você prestando o concurso do Tribunal Regional Eleitoral, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e da Polícia Militar, por exemplo. O que estes concursos têm em comum? Quase nada; portanto, você terá gasto bastante tempo e, provavelmente, não obterá a tão sonhada aprovação.

E se ao invés disso, optar por apenas 01 concurso ou, no máximo alguns com matérias em comum, seria bem melhor né?

Até porque, ainda que não fosse aprovado no primeiro, poderia aprimorar os conhecimentos sobre as mesmas matérias e prestar o segundo com mais segurança.

Então, antes de começar decida e foque em apenas 01 único concurso e defina sua meta com base nele. Isto evitará que perca tempo e te auxiliará a fixar melhor os conteúdos.

01 - Tenha meta

 

 02. Definiu sua meta? Então é hora de analisar seu tempo

 

 

Como já dizia o ditado popular “tempo é dinheiro”.

Analise seus compromissos e verifique todos os possíveis intervalos de tempo em que é possível estudar, verifique em qual deles seu raciocínio será melhor.

Todo mundo tem um período do dia em que a “cabeça funciona melhor”. Utilize esse momento para estudar matérias mais monótonas. No período em que o seu raciocínio é mais lento, procure realizar atividades mais dinâmicas, como resolver provas anteriores ou assistir videoaulas.

Exemplificando…

02 - Exemplo de duração do tempo de estudo

Conseguindo definir o seu tempo de estudos, tenha uma semana de adaptação.

Para organizar o tempo que você dispõe para estudar nos concursos, é muito importante respeitar o seu dia-a-dia para não gerar frustrações. Frustrações são perigosas porque causam desânimo e impedem o alcance de tarefas/metas possíveis.

Como fazer?

Procure espaços na sua rotina e tenha uma semana de adaptação, para que possa verificar se a forma que aderiu no primeiro dia será a mesma no decorrer da semana, caso contrário mude sua tabela acrescentando um tempo real.

Exemplo:

Se você conta com duas horas de almoço e pretende utilizar este tempo para estudo, desconte o tempo que gastará com o trânsito e com a alimentação. Gastando 15 minutos para chegar até sua casa, 15 minutos para se alimentar e mais 15 minutos para voltar ao trabalho, você terá 01 hora e 15 minutos de tempo disponível. Veja a tabela:

03 - Tabela - Semana de Adaptação

 

Definido seu tempo de estudos para a primeira semana, organize os conteúdos

 

Além do tempo, outra coisa que deve ser pensado com muita atenção são as matérias que irá estudar, seus estudos basicamente serão divididos em tempo disponível e matérias cobradas na prova, para que consiga “dar conta” de todo o conteúdo, terá que fazer alguns cálculos, ponderando dias de estudo e conteúdo à serem estudados, mas, não se preocupe elaboramos uma tabela abaixo que irá te auxiliar nessa primeira semana. Outra observação importante é ANOTE todos os seus “testes” da semana de adaptação, pois dessa forma conseguirá trilhar um caminho certo nas próximas semanas até a data da prova. 

04 - Tabela de Conteúdo

É importante fazer estes cálculos para que você consiga enxergar a possibilidade ou não de estudar todo o conteúdo programático exigido. Caso não seja possível, você tem duas opções: descartar alguns assuntos ou aumentar o tempo de estudo.

 

03. Quer passar em  concursos públicos? Então estude em ciclos, isso vai te ajudar muito!

 

Neste método, as matérias giram formando um ciclo. Para estudar por ele, basta elencar todas as matérias exigidas no edital e dividir suas horas de estudo. Quando chegar na última matéria, você voltará à primeira.

Este método é bastante interessante porque dificulta que o estudante se canse de uma disciplina, impede que ele dedique muito tempo para a matéria que ele mais gosta, bem como facilita o dinamismo.

05 - Estude em ciclos

Lembre-se de sempre deixar um tempo para revisão e resolução de exercícios!

Separe as matérias de acordo com a sua dificuldade e guarde um dia da semana só para as mais difíceis. 

06 - Exemplo de Ciclo de estudos

*Construa sua tabela com base no seus horários disponíveis.

 

Se preciso for, refaça seu ciclo para adaptá-lo ao seu desempenho. Se, por exemplo, você estudou uma matéria mais rápido do que o planejado e já a reviu algumas vezes, você pode retirá-la do ciclo ou atribuir um tempo menor. O tempo restante poderá ser atribuído para outra matéria que você tem mais dificuldade.

 04. Revisão é ESSENCIAL! Quem não revisa não passa em concurso

Engana-se quem pensa que resumir e revisar é perda de tempo.

Segundo especialistas, o cérebro humano pode armazenar qualquer coisa e possui uma capacidade ilimitada para armazenamento. Contudo, ele as retém por um período de tempo que varia de pessoa para pessoa e de informação para informação. Por isso é importante rever a matéria.

07 - Revisões

Aquele que não revisa, corre o grande risco de esquecer tudo o que estudou. Por isso é importante ler e reler seu resumo.

De quanto em quanto tempo devo revisar?

O ideal é que você reveja o seu resumo no mesmo dia em que o fez, ou seja, no dia em que estudou a matéria.

Se isto não for possível, reveja o mais breve possível como, por exemplo, no final da semana igual o nosso exemplo de ciclo de estudo.

08 - Tabela Revisões

Revisar pode parecer demorado, mas não é! Você só revisará seu resumo ou as partes grifadas de seu texto.

Reviu tudo?

No final de semana revise tudo o que você estudou durante a semana. Esta segunda revisão será mais rápida e gratificante porque você verá que muita coisa já está memorizada.

Acabou?

Não, após 30 dias revise novamente!

É interessante ainda fazer uma nova revisão após dois ou três meses.

A cada revisão, o tempo será diminuído e você poderá perceber tudo o que realmente aprendeu, bem como selecionar aqueles pontos que ainda são uma dificuldade. Dê uma atenção especial a eles.

Lembra da agenda que falamos anteriormente? Ela é bastante importante para que você consiga saber o que já revisou e o que precisa revisar ainda, bem como para estabelecer e organizar a periodicidade de suas revisões. Vamos repetir: organização é fundamental!

Não se cobre se não conseguir assimilar e ou memorizar nas primeiras revisões. Este é um processo gradual! Se você ficar se cobrando, acabará desistindo de revisar e correrá o risco de esquecer. Quem esquece tem que estudar novamente e, por via de consequência, gastará um tempo bastante grande.

Se perceber que ainda falta muito para assimilar, estabeleça outras revisões, mas tenha o cuidado de dar um intervalo entre elas. Evite repetições massivas em curto espaço de tempo.

05. Faça o MÁXIMO de EXERCÍCIOS que conseguir!

 

 

Dica 5

Um dos principais segredos para se passar em um concurso é exercitar os conteúdos.

 

A resolução de questões e exercícios é uma ferramenta importantíssima para o concurseiro; portanto, faça muitas!

Além de ser um método dinâmico de estudo, os exercícios te auxiliam a memorizar a matéria por meio de sua aplicação.

As organizadoras costumam formular questões em que o candidato precisa utilizar o raciocínio inverso e nada melhor para treiná-lo do que resolver questões.

A vantagem de realizar exercícios é conhecer a forma como determinados assuntos são cobrados.

Guarde: em geral os assuntos são cobrados da mesma forma. O mesmo ocorre com as chamadas “pegadinhas”. Dificilmente a questão será a mesma, porém a forma de se exigir o conhecimento sobre o assunto, quase sempre é igual.

Para se ter uma ideia, o Professor Leandro Cadenas em seu livro “Como Estudar para Concursos” afirmou que a tão temida ESAF repetiu 86 alternativas dentro da matéria de Direito Constitucional, no período de um ano. Algumas foram cobradas em três provas diferentes.

Conheça sua banca e pratique exercícios elaborados por ela!

 

Pegue o “jeito” da prova que irá prestar!

É importante realizar exercícios elaborados pela banca que vai ou que costuma realizar as provas para o teu concurso/meta. Como vimos acima, é possível que a organizadora repita alternativas.

Também é bastante comum a banca seguir um padrão.

Algumas exigem mais o famoso “decoreba”; outras preferem os posicionamentos dos Tribunais; algumas se utilizam de posições doutrinárias… enfim, é importante realizar os exercícios para que você conheça o padrão de questões e note as preferências da organizadora. Isso facilitará seu estudo e a realização da prova!

Há organizadoras que têm preferência por questões de falso e verdadeiro. Outras se utilizam de alternativas (4 ou 5). Tem bancas que adoram aquelas questões em que você precisa dizer quantas assertivas estão corretas.

Bastante interessante também é se familiarizar com o estilo de redação da organizadora. Algumas adoram uma redação simples, de fácil compreensão, mas outras preferem uma redação mais rebuscada. Seja como for, familiarize-se!

Deu pra perceber como as bancas têm estilo próprio? Então, não tenha medo! Resolva exercícios, mas tome o cuidado de resolver questões do mesmo nível. Se você vai prestar um concurso para magistratura, de pouco adiantará resolver questões para técnico, isto porque a abordagem varia de nível para nível.

Cuidado também com o enfoque que é dado a cada cargo; exemplo, para o cargo de auditor fiscal, o enfoque será maior nas matérias relacionadas ao exercício das funções de auditor, como Direito Tributário. Já para analista do TRE o enfoque estará em Direito Eleitoral.

Quando falamos em enfoque, estamos querendo dizer que as bancas costumam aprofundar mais em matérias que são essenciais para o desempenho das atividades do cargo, por isso, procure resolver questões para estes cargos.

Você poderá encontrar questões tanto na internet, quanto em livros!

Não deixe de conferir suas respostas, pois neste momento você estará revisando a matéria e, provavelmente, não cometerá o mesmo erro.

Busque sites e materiais que contenham questões resolvidas porque além do gabarito, você terá uma explicação sobre a matéria e, além de entender o porquê do erro, revisará e fixará o conteúdo.

 

06. Estude pelo menos o TRIPLO após o edital ser lançando!

 

 

 

Saiu o edital, e agora? Se você já vem estudando, não precisa preocupar-se.

 

Ainda que falte algumas matérias, você conseguirá estudá-las a tempo, basta não entrar em desespero.

Dedicação total! Essa é a frase de ordem. Se antes dissemos que você deveria ter vida social, agora afirmamos que você deve dedicar-se total e integralmente aos estudos; portanto, nada de vida social.

Antes do edital você pode eleger seus compromissos pensando nos seus concursos. Após, cancele todos. Debruce-se sobre os livros, apostilas e outros materiais.

Procure estudar as matérias que ainda não estudou, ou seja, aquelas que não foram cobradas nos editais anteriores. Não se esqueça de revisar! Revise as matérias novas e as antigas, revise tudo antes dos concursos!

Atente-se para informações fundamentais como data da prova e das inscrições, horário de fechamento de portões, isenções e materiais permitidos.

Ler edital é muito chato! Sim, mas é preciso. As organizadoras buscam discriminar todas as situações importantes no edital para se precaver de possíveis problemas. É justamente por isso que os editais são extremamente longos e enfadonhos.

Se você está começando a prestar concurso, não se assuste. Daqui a alguns concursos você estará familiarizado e conseguirá ir direto para as informações importantes.

Tem sido bastante comum as organizadoras estipularem horários para o término das inscrições, então fique ligado!

09 - Fase pós edital

Procure conhecer o local onde você prestará sua prova. Muitas vezes elas são aplicadas em universidades. Nestes casos não basta saber onde a universidade fica, mas também o bloco em que você fará a prova.

Atente-se ainda para os materiais permitidos.

Muitas organizadoras somente permitem caneta preta de tubo transparente; outras azul e, assim por diante. Há organizadoras que permitem o uso de relógio e isso é maravilhoso, porém elas são exceção.

O relógio é um valioso instrumento para você se organizar e administrar o tempo da prova, porém, como dito acima, são poucas as bancas que permitem. Quando ele é proibido, a pessoa que está fiscalizando costuma escrever o horário na lousa, mas se isto não ocorrer, ou se você precisar saber a hora em momento diferente, não hesite em perguntar.

Prestar concurso não é nada barato, por isso fique atento aos casos de isenção previstos.

Entenda a pontuação mínima para aprovação e o peso de cada disciplina. Há organizadoras que estabelecem uma porcentagem mínima de acerto para cada disciplina, por exemplo: serão classificados os candidatos que obtiverem 50% em cada matéria exigida no edital. Outras, além da porcentagem mínima por disciplina, exigem uma porcentagem mínima geral, ex: 30% por disciplina e 60% no todo.

Algumas bancas também colocam como requisito para a classificação o impedimento de “zerar” qualquer questão. Essas são os tipos de provas mais difíceis porque o concurseiro precisará estudar muito bem tudo o que for cobrado em edital.

 Há, porém, organizadoras que somente trabalham com a porcentagem geral. Nestas, a dica é estudar bastante as matérias que você tem facilidade ou que gosta mais (para garantir um bom número de acertos), sem, contudo, deixar de dedicar um tempo às demais.

Você pode estar pensado: “que dica é esta? No final terei que estudar tudo mesmo”. Sim, terá. Entretanto, se você não estudou na fase pré-edital ou se estudou pouco, terá que correr contra o tempo e, nestes casos, a dica irá te ajudar.

Pense: se você necessita acertar 50% da prova para ser classificado, por que vai ficar estudando as matéria que tem mais dificuldade? O melhor a se fazer é garantir uma boa pontuação nas disciplinas que você tem facilidade para aprender. Isso não significa que você não estudará as demais, porém, o tempo dispensado a estas será menor.

Preste muita atenção no peso das disciplinas. Não é incomum os editais atribuírem pesos diferentes para as disciplinas que são mais importantes para o exercício do cargo ou função.

Se você já vem estudando, procure dar uma atenção especial para a revisão destas. Já se você começou a estudar após a publicação do edital, dedique um tempo maior para estudar as disciplinas de maior peso.

Na semana que antecede a prova alguns cuidados são essenciais. Se você já tem tudo resumido, reserve essa semana, ou até mesmo duas semanas, para revisão. Lembre-se quanto mais você revisar, maior será sua memorização.

Tome cuidado com a prática de esportes radicais. Embora sejam bastante recomendáveis, alguns esportes podem te colocar em risco de lesão; portanto evite-os. Já pensou fazer para os concursos machucado ou com dor?

07. RELAXE bastante nos dois últimos dias antes da prova!

 

 

 

Relaxe

 

A alimentação é outro cuidado que se deve ter. Principalmente na véspera da prova, não coma nada pesado e nem tome bebidas alcoólicas. As provas são longas e bastante cansativas, por isso você deve estar 100%. Álcool e comidas pesadas podem comprometer seu rendimento.

É primordial descansar no dia anterior da prova. Seu corpo e mente precisam estar descansados para você aguentar a jornada.

 

Deixe seus documentos separados e prontos para serem levados. O mesmo vale para os materiais permitidos. Se você deixar isso pra última hora correrá o risco de esquecê-los.

Leve algo para comer, como chocolate e barras de cereal. As provas são longas e requerem energia. Já pensou ficar cinco horas sem comer nada? É bem difícil, não é? Tanto o chocolate, quanto a barra de cereal são fontes rápidas de energia, mas se você não gosta, leve uma fruta ou amendoim. Só tome cuidado para não levar frutas que possam pingar e manchar sua prova e mãos.

Além de serem fontes de energia, os alimentos tem o efeito de acalmar a pessoa. É como se fosse um respiro, um refúgio, ou algo do gênero. Estressou? Coma algo pra acalmar.

Se você é muito ansioso o melhor é levar algo que possa comer por mais tempo, como amendoins e balas.

 

Não se esqueça da água! Embora os locais de prova tenham bebedouros, é importante que você leve sua própria água para não ter que perder tempo. Hidratação é fundamental! Se quiser dar uma pausa pra “esfriar a cabeça”, vá ao banheiro, mas não demore. Respire, se acalme e volte o quanto antes.

Na hora da prova é importante se programar, ou seja, você precisa dividir o seu tempo considerando o custo-benefício de cada questão. Procure iniciar pelas questões das disciplinas que você tem mais facilidade e que tomam menor tempo. Assim, você terá um tempo maior para se dedicar às questões mais difíceis.

O fato de começar pelas questões que você tem maior facilidade também te confere uma sensação maior de confiança e segurança.

Chegou a hora de todo seu esforço “valer a pena” em poucas horas.

 

Imagine começar a prova e dar de cara com duas, três, quatro questões que você não sabe… com certeza vai bater o desespero e isso te impedirá de raciocinar corretamente.

Não perca muito tempo com questões que você não lembra ou que não sabe. De nada vai adiantar você ficar 10, 15 minutos em uma questão. Não consegue lembrar? Deixe-a marcada e vai para a próxima. Se você ficar insistindo em uma mesma questão, além de perder tempo, se sentirá impotente e inseguro, então, “bola pra frente”.

Faça a prova render! Primeiro resolva todas as questões que você realmente sabe a resposta. Marque as demais separando em duas categorias: não sei e não lembro. Após resolver as questões que você sabe, volte para aquelas que ainda estão por responder. As questões da categoria que você realmente não sabe, chute!

Após, dedique um tempo para lembrar as questões da categoria não lembro. Só não se esqueça de deixar um tempo para preencher o gabarito.

 

Por falar em gabarito, é nele que se encontra o erro mais cometido em concurso. Seja por desatenção ou por cansaço, muita gente erra na hora de passá-lo, por isso, o ideal é que você reserve um tempo para preenchê-lo. A depender do número de questões, reserve até 40 minutos.

Confira todas as respostas e passe uma a uma. Procure não decorar as resposta para preencher o gabarito porque isso pode te levar a erro.

concursos no dia da prova

 

Depois de todo esse nosso “bate papo” percebemos que concurso público, além de conhecimento exige do candidato muita disciplina e dedicação.

Conseguindo ponderar tudo isso que foi falado acima com certeza sua aprovação vai chegar nos concursos públicos.

Gostou? Tem mais algum segredo guardado aí sobre concursos?

Compartilhe com a gente, vamos compartilhar nosso conhecimento e sermos todos aprovados!

Adaptação do eBook:

A fórmula para você passar no seu primeiro concurso público.

Qual sua dúvida ou comentário sobre esse conteúdo?

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado

Comentários
  • Auricelio Rosas dos santos 29 set 2019

    Grato pelas dicas!!!!!

  • mm
    Maxi Educa 30 set 2019

    Oii Auricelio, tudo bem? Que bom que gostou do nosso blog! Aproveite e navegue por nosso site (www.maxieduca.com.br), garanto que você também vai gostar. Um grande abraço e muito obrigado por seu comentário! Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

Quer receber notícias sobre Concursos Abertos? Cadastre-se em nossa newsletter


Sobre nós

Somos o Instituto Maximize de Educação, uma empresa especializada na preparação de Apostilas em PDF e Cursos Online para Concursos Públicos e Vestibulares.

Saiba mais