4 Passos para Aprender tudo: Técnica de Feynman

Por Matheus De Marchi 19 mar 2020 - 4 min de leitura
4 min

Quem sabe, faz! Quem não sabe, ensina!“. Concordando ou não, você já deve ter ouvido esse ditado em algum momento. Talvez o que você não saiba é que Richard Feynman e seu método de estudos, logo, entendemos o nome (Técnica de Feynman) não pensa assim!

Mas quem é esse tal de Richard Feynman? Você me pergunta.

Só o vencedor do Nobel de Física de 1965 com estudos em torno da Eletrodinâmica Quântica. Eu te responto…

Brother/sister… Presta atenção! Qualquer pessoa que estude Física já merece meu respeito, focar nesses termos profundos que parecem ser usados só em filmes de ficção científica então? Ouçam o que ele tem a dizer!

E é justamente sobre o que ele tem a dizer que se tratará esse blog. Confira abaixo como aprender “qualquer coisa” utilizando 04 passos simples com a Técnica de Feynman!

1º passo da Técnica de Feynman: Escolha um tópico!

Esse tópico pode ser qualquer assunto, conceito, ideia ou teoria. Não precisa se limitar no primeiro passo, mas também não avacalhe, não invente de aprender sobre Eletrodinâmica Quântica se você é uma pessoa como eu (erra até regra de três).

Seu tópico não pode ser muito abrangente, ele tem de ser específico. Por exemplo: não escolha só “História”, tente algo mais específico como “Revolução Chinesa”.

Sim, usei a China como exemplo de propósito, dessa forma prendo sua atenção! (tento).

Assunto escolhido, use uma folha de papel, página em branco no Word, lousa ou seja lá qual método para escrever/estudar você utilize e escreva tudo o que você sabe sobre o assunto. O primeiro passo nunca estará fechado, você sempre retornará a ele quando aprender algo novo nos próximos passos ou em X ocasiões.

Tudo registrado? Vamos para o segundo passo.

2º passo da Técnica de Feynman: Ensine para uma criança!

Você não leu errado. É isso mesmo! Pegue tudo o que foi registrado no primeiro passo e ordene de forma que seja compreensível para uma criança.

Não precisa sair por aí procurando crianças para ensinar conteúdos. Elas não gostam disso! Mas se coloque nesse situação. Você pode por exemplo escrever uma explicação mirando o entendimento de uma criança (ou um amigo(a) bem lento). Se você fosse explicar isso para uma criança, quais palavras usaria? Como faria com que ela compreendesse o assunto?

Isso imediatamente lhe trará dois benefícios: em primeiro lugar, fará com que você troque todos os termos “complexos” por termos mais simples (que uma criança entenderia). Você não precisa usar palavras difíceis para mostrar que entende algo.

Em segundo lugar, fará com que você ordene toda a ideia/conceito/assunto de forma compreensível (etapas, ordem cronológica, consequências…). Se consegue explicar, você entendeu de verdade.

Isso é uma ótima forma de se preparar. Mas lembre-se: falar sobre algo não quer dizer que você entende de verdade sobre algo. Então faça esse teste, pegue um assunto que você acredita que domine e tente explicá-lo (pode ser na imaginação) para uma criança. Se você mesmo se embananar, já sabe!

Vá para o 3º passo!

3º passo: encontre sua dificuldade!

Percebeu durante sua explicação que as coisas não eram tão simples como pareciam na sua cabeça? Não se preocupe porque isso é normal. Eu me encontrei nessa situação várias vezes em sala de aula.

Felizmente a solução para esse problema é simples: revise o que você sabe (ou acha que sabe).

É provável que você domine boa parte do seu assunto, mas que ainda existam alguns gargalos, partes bem específicas que você deixou passar e que acabam prejudicando o todo. Então volte, leia novamente, revise seu material, busque novas informações e corrija essa dificuldade em particular.

Coloque os remendos onde é necessário e tente novamente fazer sua explicação.

Funcionou? Excelente! Mas tem mais….

4º passo: revise e deixe simples!

Nada é tão bom que não possa melhorar! O quarto passo é o momento em que você irá pegar o assunto que você já domina e irá transformá-lo em algo natural no seu pensamento… Automático… Como responder seu nome!

O segredo para isso é rever o seu “texto” final e simplificá-lo cada vez mais.

De que forma?

Trazendo o conteúdo para sua realidade! Não precisa utilizar termos técnicos ou elaborados demais. Você pode usar gírias (para a sua explicação mental, não para o seminário na Universidade), pensar em exemplos do dia-a-dia, fazer trocadilhos, lembrar de personagens… O que funcionar melhor para você!

Para ter certeza de que tudo está certo, fale em voz alta sua explicação/texto. Mas sem roubar! Se tudo correu suave, parabéns, você aprendeu algo novo utilizando a Técnica de Feynman!

Já conhecia a Técnica de Feynman? Acha que funciona? Técnicas de estudo podem ser uma boa para lhe ajudar. Já falamos sobre outras aqui no blog.

Confiram lá e deem um feedback aqui, mas sem preguiça hein!

Qual sua dúvida ou comentário sobre esse conteúdo?

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado

Quer receber notícias sobre Concursos Abertos? Cadastre-se em nossa newsletter


Sobre nós

Somos o Instituto Maximize de Educação, uma empresa especializada na preparação de Apostilas em PDF e Cursos Online para Concursos Públicos e Vestibulares.

Saiba mais