ATUALIZE-SE EM GEOGRAFIA E ENTENDA OS IMPACTOS TRAZIDOS PELAS PRIMEIRAS MUDANÇAS NESTE POLÊMICO INÍCIO DE GOVERNO DE DONALD TRUMP

Por Maxi Educa 30 jan 2017 - 9 min de leitura
9 min

Donald John Trump, tomou posse no dia 20/01/2017, como o 45º presidente dos Estados Unidos, apresentando um discurso nacionalista e crítico à classe política, seguindo o mesmo tom que marcou sua campanha eleitoral.

Fonte: http://supertela.club/wp-content/uploads/-000/1/caricaturas-trump-14.jpg.

Fonte: http://supertela.club/wp-content/uploads/-000/1/caricaturas-trump-14.jpg.

Três dias após sua posse (23/01/2017), dentre outras mudanças, assinou uma ordem executiva para iniciar a saída do país do Tratado de Associação Transpacífico (TPP, na sigla em inglês), negociado pelo governo de Barack Obama em 2015 e visto como um contrapeso à crescente influência econômica e política da China.

Trump mostrando acordo assinado
Fonte:http://s2.glbimg.com/OQcUsvFzt_qrMW8-FlD_ODl4q5c=/620×430/e.glbimg.com/og/ed/f/original/2017/01/23/2017-01-23t184435z_1_lynxmped0m16e_rtroptp_3_eua-trump-transpacifico.jpg.

 

E agora????

keep-calm-and-estude-geografia

Fonte: http://sd.keepcalm-o-matic.co.uk/i/keep-calm-and-estude-geografia-6.png.

Para que os estudantes de Geografia não se desesperem, vamos aqui ter uma conversa para facilitar o entendimento sobre tudo isso.

 

Primeira coisa….

Respira

Fonte: https://vanessinhafigueiredo.files.wordpress.com/2015/06/flowers.png.

Depois de respirar…

 

Vamos começar entendendo um pouco sobre do que se trata o Acordo de Associação Transpacífico (TPP)

TPP

Fonte: http://s1.static.brasilescola.uol.com.br/artigos/tpp-um-acordo-livre-comercio-firmado-entre-doze-paises-sia-oceania-americas-56d096c04931b.jpg?i=http://brasilescola.uol.com.br/upload/conteudo/images/tpp-um-acordo-livre-comercio-firmado-entre-doze-paises-sia-oceania-americas-56d096c04931b.jpg&w=302&h=293&c=FFFFFF&t=1.

 

Depois de quase dez anos de negociações secretas entre os países-membros do bloco, para que se chegasse ao documento que o legitimou, assinado no dia 04 de Fevereiro de 2016, o Acordo de Associação Transpacífico (TPP) estabeleceu o livre-comércio entre doze países da Ásia (Japão, Brunei, Malásia, Cingapura e Vietnã), Oceania (Austrália e Nova Zelândia), América do Norte (Estados Unidos, Canadá, e México) e América do Sul (Peru e Chile). O grupo reunia três grandes potências mundiais (Estados Unidos, Japão e Canadá) e países que possuem economias abertas, flexíveis e muito inseridas no comércio mundial, como alguns dos Tigres Asiáticos (Malásia e Cingapura), além de países emergentes da América Latina, como o Chile e o México.

Tal medida criou a maior área de livre-comércio da história.

Dentre outros itens, o TPP trazia como objetivos:

→ A integração econômica entre os países-membros por meio da eliminação ou redução de tarifas e outras barreiras à circulação de bens, serviços e investimentos;

→ A criação de regras comuns de propriedade intelectual de produtos e tecnologias que protejam as inovações tecnológicas dos países-membros sem comprometer o desenvolvimento científico de outros países;

→ A padronização das leis trabalhistas, garantindo, assim, uma elevação dos padrões de trabalho nos países asiáticos para evitar a migração em massa de empresas atraídas por mão de obra barata;

→ O desenvolvimento de ações ambientais comuns que garantam o desenvolvimento sustentável das economias envolvidas nesse bloco econômico;

→ O aumento dos investimentos internos do bloco que favoreça o desenvolvimento econômico dos países e aumente a integração econômica entre eles.

Apesar de alguns especialistas considerarem que a saída dos EUA significa o fim do TPP, já que o maior incentivo para os outros participantes era o acesso facilitado ao mercado americano, alguns países sinalizaram que querem seguir adiante com o processo.

Austrália e a Nova Zelândia já anunciaram seu desejo de criar uma espécie de “TPP menos 1”.

A administração Obama considerava o TPP como o melhor tratado possível porque inclui não só a eliminação de barreiras comerciais, como também de normas sobre legislação trabalhista, ambiente, propriedade intelectual e compras estatais. Além de que sem o mesmo, a China decretaria as regras do comércio mundial.

Falando em China…

 

China do lado de fora

Fonte: https://wikileaks.org/tisa/WikiLeaks-TiSA-cartoon.jpg.

Obama fez tudo para que a China fosse excluída do tratado. Washington buscava assim aumentar sua presença em uma das zonas econômicas mais dinâmicas do mundo e ao mesmo tempo impedir que a China preenchesse um “vazio regional”.

 

TPP X RCEP

 

 

TPP X RCEP

Fonte: https://www.scmp.com/sites/default/files/2015/11/05/6d21a2e912ec909575f1d8ba7155529c.jpg.

 

Como resposta, a China buscou promover sua própria versão de um pacto comercial da Ásia-Pacífico, chamado de Parceria Abrangente Econômica Regional (RCEP, na sigla em inglês), que exclui os Estados Unidos e cria uma área de livre comércio de 16 nações, incluindo a Índia, o maior bloco do mundo nesse âmbito, abrangendo 3,4 bilhões de pessoas.

Trata-se de um acordo comercial mais tradicional, que envolve cortar tarifas em vez de abrir economias e estabelecer padrões trabalhistas e ambientais como o TPP faria.

Queda de braço

Fonte: http://www.bilaterals.org/local/cache-vignettes/L500xH354/china-vs-america-dragon-arm-wrestling-eagle-8b790-b61bf.jpg.

A retirada americana, por força do decreto presidencial assinado por Trump, parece abrir uma brecha para que a China faça justamente o que Obama temia.

Já na visão de Donald Trump, o TPP prejudicaria os americanos ao eliminar postos de trabalho e teria como objetivo final beneficiar a China.

“É um acordo que foi criado para a China entrar, como eles sempre fazem, pela porta de trás e tirar vantagem de todo mundo”, afirmou durante a campanha. Para o republicano, o gigante asiático, que não faz parte do bloco, manipula sua moeda para obter vantagem no comércio internacional – e os Estados Unidos obteriam melhores condições ao negociar contratos bilaterais com os países integrantes do tratado.

Mas ao cumprir sua promessa eleitoral e desfazer os anos de árduas negociações de seu antecessor, Barack Obama, Trump poderá acabar servindo justamente como uma ferramenta para consolidar a presença de Pequim na área.

Na teoria, a China foi favorecida pelo anúncio de Trump, mas o governo da segunda maior economia do mundo ainda não se manifestou sobre a possibilidade de aderir ao TPP.

 Obama mostrando a língua

Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/caixa-zero/wp-content/uploads/sites/52/2016/02/obama-is-just-like-us.jpg?fc9e39.

 

Outras Mudanças…

Outras Mudanças

Fonte: http://files.joanapires-geo12.webnode.pt/system_preview_detail_200000276-bcaf2bd2ce/ambiente.jpg.

 

Donald Trump já tomou diversas medidas em seus primeiros dias de governo. Do cancelamento de acordos econômicos à nomeação de membros de seu Gabinete, o presidente americano tem trabalhado para desfazer o legado de Barack Obama. Confira as principais ações tomadas até agora pelo magnata:

 

Nafta

Nafta

 

Trump anunciou menos de duas horas depois de sua posse, que exigirá a renegociação do Nafta, acordo de livre-comércio integrado por Estados Unidos, Canadá e México, e vai abandonar o tratado a menos que o país consiga “um acordo justo”.

Durante a campanha, Trump afirmou que o pacto gerou desemprego, baixa na produção industrial e perdas econômicas aos EUA.

A indústria automobilística foi um dos principais alvos das críticas do agora presidente. México e Canadá são os principais exportadores de veículos para o mercado americano.

Empregos e impostos

 

A base econômica de Trump foi a promessa de aumento de empregos, um de seus temas mais frequentes. Trump afirma que pretende aumentar impostos para quem o fizer ou para quem não empregar preferencialmente norte-americanos.

Empregos e Impostos

Fonte: https://pbs.twimg.com/media/CXbbNsSW8AIpbUp.png.

 

Legenda: (“Você está demitida”)

Plano de Ação Climática

O governo do presidente Donald Trump está empenhado em eliminar o Plano de Ação Climática. Já no primeiro dia, Trump retirou do ar o site com os projetos para proteção climática do governo democrata.

Ordem Executiva contra o ‘OBAMACARE’

Uma das maiores e mais divulgadas plataformas da campanha de Trump era a de repelir completamente as reformas de saúde pública feitas por Obama. Chamadas de Affordable Care Act (ACA), e popularmente conhecidas como ‘Obamacare’, as leis aumentaram a abrangência de planos de saúde no país, ampliando a cobertura para 10 milhões de americanos. Trump usou seus primeiros dias no Salão Oval para emitir uma ordem executiva contra o programa.

Fim de financiamento para Ongs Pró-Aborto

Uma medida adotada por Trump que viralizou nas redes sociais, na verdade, não é nova. Se trata da reinstauração de uma lei criada no governo de Ronald Reagan e rejeitada durante o mandato de Obama. É a proibição de financiamento direto por parte do governo americano de Organizações Não Governamentais (ONGS) que realizem abortos em países estrangeiros.

Congelamento de contratações pelo Governo Federal

Seguindo sua postura de austeridade e redução de gastos do governo, Donald Trump emitiu uma ordem provisória, congelando todas as contratações feitas pelo governo federal, até segunda ordem.

Ao assinar o ato, Trump fez uma exceção, deixando os militares de fora. A decisão se alinha às suas tendências de manutenção da posição dos EUA como maior força armada do mundo.

Aprovação dos oleodutos Dakota Access e Keystone XL

Trump decidiu, em ordem executiva, liberar o projeto para a expansão de dois oleodutos, um entre os estados da Dakota do Norte e Illinois e outro que vai do Oklahoma ao Canadá. A medida é polêmica, principalmente entre os setores de preservação do meio ambiente e das comunidades indígenas.

Ele também reforçou que considera essencial o uso de aço americano na construção dos dois oleodutos.

Ações contra imigrantes ilegais

Trump assinou decretos presidenciais para ativar a construção de um prometido muro na fronteira com o México, aumentar a fiscalização migratória interna e punir cidades que protegem imigrantes em situação ilegal. Ele planeja ainda banir temporariamente a entrada da maior parte dos refugiados. Outras medidas antecipadas incluem a suspensão de vistos para cidadãos da Síria e de outros seis países do Oriente Médio e da África.

O que esperar a partir de agora para os Estados Unidos e para o Mundo??????

Cenas dos Próximos Capítulos

Fonte: http://geradormemes.com/media/created/ndxit9.jpg.

 

Enquanto aguardamos as cenas dos próximos capítulos, gostaria de deixar como dica para os estudantes de Geografia, alguns temas que seria legal que vocês revisassem após essas mudanças trazidas por Donald Trump, pois os mesmos também podem sofrer alterações.

 

Então….

Fique de olho

Fonte: http://s2.glbimg.com/lKSYdrHhXJM27f__Z9bv7CqGzNc=/s.glbimg.com/et/bb/f/original/2014/02/26/300x225_fique_de_olho.jpg.

São eles: Blocos Econômicos, Globalização, Migrações, Acordo de Paris e Livre Comércio.

Quero também lhe convidar para deixar seu comentário com dúvidas, críticas ou sugestões sobre este post.

Comente

Preciso muito da sua opinião para aperfeiçoar minhas publicações aqui no blog.

Ah e tem mais, confira nosso Minuto Maxi, é curtinho e vai servir de complemento para sua aprendizagem.

 

 

Abraço e até a próxima!

Tutora:

Angélica M. B. Calil.

Qual sua dúvida ou comentário sobre esse conteúdo?

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado

Comentários
  • Natanael Otávio 31 jan 2017

    Mais uma postagem cheio de conteúdo e dinâmica, que nos ajuda a compreender melhor o que muda com as ações de Trump e o que se pode esperar desse embate entre E.U.A e China! Parabéns, Angélica! To gostando muito do blog.

  • mm
    Maxi Educa 01 fev 2017

    Boa tarde Natanael, Agradecemos seu interesse na leitura de nosso blog, que é elaborado sempre pensando em temas que proporcionem atualização. Portanto fique ligado nas próximas postagens. Acompanhe-nos também nas redes sociais. Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

  • André Andrade 02 fev 2017

    Parabéns pelo fluxo pedagógico, clareza pronta, com Ilustração de um assunto extremamente peculiar. agora sentir uma falta de abordagem na questão Imperialista que os os Nortes Americanos desejam e pela formação politica e seus ditos representados que ele Trump esta se impondo. .

  • mm
    Maxi Educa 03 fev 2017

    Olá! Ficamos lisonjeados com seus apontamentos e agradecemos os elogios. Apenas gostaríamos de ressaltar que por se tratar de um blog, o assunto foi abordado de forma direcionada e dinâmica, não conseguindo esgotar todos os pontos sobre o determinado assunto. Mas quem sabe poderemos complementar em um próximo post? Exatamente por isso, sua opinião e sugestões são de extrema importância para nós. Até mais! Acompanhe-nos também nas redes sociais. Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

Quer receber notícias sobre Concursos Abertos? Cadastre-se em nossa newsletter


Sobre nós

Somos o Instituto Maximize de Educação, uma empresa especializada na preparação de Apostilas em PDF e Cursos Online para Concursos Públicos e Vestibulares.

Saiba mais