CANSADO DE SE ALIMENTAR MAL? ENTENDA AS DIFERENÇAS ENTRE ALIMENTOS ORGÂNICOS E OS CONVENCIONAIS E TENHA UMA VIDA SAUDÁVEL

Por Maxi Educa 24 mar 2017 - 6 min de leitura
6 min

Nos últimos anos tem crescido de forma significativa o consumo e a opção por produtos orgânicos nos lares de muitos brasileiros, consequência da maior procura pelos consumidores que se preocupam com uma alimentação saudável e com a “desintoxicação” do meio ambiente.

Mas você sabe de fato o que caracteriza um produto como orgânico? E a diferença entre esses produtos e o da agricultura convencional?

Alimentos convencionais e orgânicos

fonte: http://totuldespreslabit.ro/tag/post

 

ALIMENTOS ORGÂNICOS

 

Alimentos Organicos

Fonte: http://idealkg.ru/pravilnoe-pitanie

 

O alimento orgânico não é somente “sem agrotóxicos”. Além de ser isento de insumos artificiais, como os adubos químicos e os agrotóxicos, também deve ser isento de drogas veterinárias, hormônios e antibióticos, e de organismos geneticamente modificados.

Durante o processamento dos alimentos é proibido o uso das radiações ionizantes (que produzem substâncias cancerígenas, como o benzeno e o formaldeído) e aditivos químicos sintéticos, como corantes, aromatizantes, emulsificantes, entre outros.

Um alimento orgânico de qualidade é competitivo, saboroso e mais saudável que o convencional.

Os alimentos orgânicos têm melhor valor nutricional porque são produzidos em solo mais equilibrado em nutrientes.

A certificação dos alimentos orgânicos é uma forma de assegurar ao consumidor que o produto foi produzido dentro de um processo orgânico, sem a utilização de agrotóxicos, respeitando o ambiente e o homem, etc.

 

Mas atenção! A certificação é dispensada somente aqueles produzidos por agricultores familiares que fazem parte de organizações de controle social cadastrados no MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), que comercializam exclusivamente em venda direta aos consumidores.

certificação

A certificação IBD tem credibilidade internacional e é monitorada por instituições como a IFOAM (International Federation of Organic Agriculture Movements), da Inglaterra; DAR, da Alemanha; USDA, dos Estados Unidos; JAS, do Japão e DEMETER International. Além disso, concede a certificação do padrão EUREPGAP (frutas, hortaliças e animais para produção de carne).

 

Os Sistemas Orgânicos de Produção têm por Finalidade

 

 

– A oferta de produtos saudáveis isentos de contaminantes que possam ser evitados em função da não utilização de práticas e insumos que possam pôr em risco o meio ambiente e a saúde do produtor, do trabalhador ou do consumidor;

– A preservação da diversidade biológica dos ecossistemas naturais e a recomposição ou incremento da diversidade biológica dos ecossistemas modificados onde estejam inseridos os sistemas de produção, com especial atenção às espécies ameaçadas de extinção;

– O emprego de produtos e processos que mantenham ou incrementem a fertilidade do solo e promovam o desenvolvimento e equilíbrio da atividade biológica do solo;

– A adoção de práticas nas unidades de produção que contemplem o uso saudável do solo, da água e do ar, de forma a reduzir ao mínimo todas as formas de contaminação e desperdícios desses elementos;

– Ao estabelecimento de relações de trabalho baseadas no tratamento com justiça, dignidade e equidade, independentemente das formas de contrato de trabalho;

– O incentivo à integração entre os diferentes participantes da rede de produção orgânica e a regionalização da produção e do comércio dos produtos, estimulando os circuitos curtos e a relação direta entre o produtor e o consumidor final;

– A reciclagem de resíduos de origem orgânica, reduzindo ao mínimo possível o emprego de recursos naturais não renováveis;

– O uso de boas práticas de manuseio e processamento com o propósito de manter a integridade orgânica e as qualidades vitais do produto em todas as etapas que vão da produção até chegar ao consumidor; e

– A utilização de práticas de manejo produtivo que preservem as condições de bem-estar dos animais.

ALIMENTO ORGÂNCIO X ALIMENTO CONVENCIONAL

 

 

Alimento Orgânico x Alimento Convencional

Fonte: http://dica-truques.blogspot.com.br/2015/10/10-alimentos-que-provocam-o-cancer-e.html

 

Nas últimas três décadas, o uso indiscriminado de fertilizantes quintuplicou, o que é hoje uma das maiores preocupações nas diversas partes do mundo. Em vista disso e de estudos que comprovam a contaminação de alimentos e do meio ambiente por agrotóxicos, causando danos à saúde, cresce o número de consumidores que passam a criticar o modelo de agricultura vigente, que utiliza agrotóxicos e fertilizantes químicos nas plantações.

O Brasil é o maior consumidor de produtos agrotóxicos no mundo.

Brasil produtor

Na literatura científica, algumas pesquisas avaliaram os benefícios do consumo de alimentos orgânicos para a saúde humana. Tais estudos alegam que uma dieta orgânica pode diminuir a exposição de crianças aos pesticidas e apresentar efeito positivo no quesito fertilidade, uma vez que muitos pesticidas são disruptores endócrinos (uma dieta isenta dessa classe de agrotóxicos pode ter um efeito sobre a fertilidade masculina).

Pesquisas avançadas relacionam nossa exposição ao glifosato (herbicida sistêmico de amplo espectro e dessecante de culturas, usado para matar ervas daninhas, especialmente ervas daninhas folhosas perenes, e gramíneas que competem com as culturas), com o aumento descomunal do autismo, assim como de outras doenças de origem neurológica como o Alzheimer e a doença de Parkinson.  Para ilustrar, dados dos EUA mostram que em 2007, havia uma a cada 150 crianças inseridas no espectro do autismo; em 2009 já eram uma a cada 100; uma a cada 50 em 2013, o que leva a tenebrosa previsão de que, em 2025, em cada duas crianças, uma estará inserida no contexto do autismo.

O Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos de Alimentos analisou quase 2.500 amostras de 18 tipos de alimentos nos estados brasileiros. O resultado das análises é preocupante: cerca de 1/3 dos vegetais que o brasileiro mais consome apresentaram resíduos de agrotóxicos acima dos níveis aceitáveis.

Crescimento da produção

O crescimento da produção orgânica e do mercado consumidor ocorre em todo o mundo. Os maiores mercados estão situados na Europa e nos Estados Unidos, que representam mais de 90% das receitas nesse setor.

Ao adquirir o alimento orgânico, o consumidor contribui para a promoção da sua saúde, para a qualidade de vida das futuras gerações e para a preservação dos ecossistemas naturais. Isto significa menos gastos com medicamentos e intervenções médicas.

“Aquele que conhece as doçuras e as virtudes do solo, das águas, das plantas, dos céus, e como se aproximar desses encantamentos, este é o homem rico e de realeza”.

(Ralph Waldo Emerson, escritor)

E aí? Gostou desse assunto? Tenho certeza que depois dessa explicação você vai começar a se alimentar melhor.

Preciso que deixe seu comentário e mais sugestões que tiver interesse.

Referências
Revista FOOD INGREDIENTS BRASIL Nº 26 – 2013
http://www.korin.com.br/blog/antibioticos-na-producao-animal-e-herbicidas-como-influenciam-sua-saude
http://planetaorganico.com.br/site/index.php/certificadora-ibd
http://www.ecolnews.com.br/agrotoxicos_Senado_aprova_mais_veneno_em_nossa_mesa.htm
http://www.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/organicos/o-que-sao-organicos
 

Tutora Roberta Hassib

Qual sua dúvida ou comentário sobre esse conteúdo?

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado

Quer receber notícias sobre Concursos Abertos? Cadastre-se em nossa newsletter


Sobre nós

Somos o Instituto Maximize de Educação, uma empresa especializada na preparação de Apostilas em PDF e Cursos Online para Concursos Públicos e Vestibulares.

Saiba mais