Bolsonaro Exterminador de Cargos Públicos? Explicamos!

Por Matheus De Marchi 13 mar 2020 - 5 min de leitura
5 min

O presidente Bolsonaro está impossível mesmo! Ele flerta com o perigo e extermina Cargos Públicos! Hey Hollywood, pode começar a produzir o filme! Mas olha lá! Não pode contar com verbas do governo…

Tá bom… Antes que a enxurrada comentários pouco amigáveis invada nosso blog, vamos conversar sobre o que é sério/verdade e parar com a brincadeira, pois o primeiro parágrafo foi só brincadeira, ok concurseiros?

O fato é que 27.611 cargos efetivos federais entraram/entrarão na reta no pior sentido possível. A justificativa para falarmos disso é responder a uma questão que se formou então, “o que isso significa para você, concurseiro dedicado?”.

Como toda boa pergunta, lhe darei uma péssima resposta: depende! vou explicar o porquê logo mais, por isso fique conosco e leia até o final, prometo que não vai ser um blog muito político!

Bolsonaro extinguir Cargos Públicos é uma notícia velha!

… Mais ou menos! Acontece que o falatório a respeito disso ganhou repercussão no final de dezembro de 2019 (Decreto assinado dia 20). A partir daí a coisa ganhou uma proporção maior do que devia. Muito porque as coisas hoje ficam polarizadas entre quem ama e quem odeia o homem (e no final nem leem o conteúdo).

Ao contrário do que você pensou, não estamos retomando o assunto para criar polêmica, mas porque o mesmo Decreto previa que a extinção dos cargos teria validade a partir de 26 de fevereiro de 2020, logo, estamos atuais!

Quais são esses Cargos Públicos?

É aqui que eu começo a explicar o “depende”. Segundo o texto do Decreto e todos os seus anexos – leia o link acima – desses 27 mil Cargos Públicos, cerca de 14 mil já estavam vagos, o que em teoria não vai afetar em nada os serviços públicos federais (ahã, senta lá). Os outros 13 mil seriam de funções que hoje são consideradas obsoletas e que não haveria necessidade de reposição.

* Segundo o mesmo, pessoas que ocupam os cargos dessa lista terminariam normalmente seu tempo de serviço para só então o cargo ser extinto. Justo.

A explicação de tudo é simples e lendo assim não entendemos o motivo de tanta polêmica ? Mas então… Agora senta aí…

Por um lado faz sentido economicamente a extinção e não convocação de novos funcionários para X funções. Por exemplo: na lista anexa ao Decreto encontramos o cargo de Discotecário (oi?). Sim millennials, é um cargo real e parem de se fingir surpresos! Eu não sei o quanto não termos discotecários federais pode afetar de verdade nossa vida, mas…

Por outro lado nós encontramos um problema um pouco maior: pouco mais de 30% desses cargos são de agentes de saúde pública! Isso mesmo! Saúde Pública! Querem reduzir esse números de profissionais no Brasil! Isso pode afetar até a vida dos millennials! (temos cargos em outras áreas importantes como educação, pode conferir a lista no link do decreto).

Desses cargos, quase 4.600 já estão vagos (e não serão repostos), enquanto o restante será extinto conforme fique livre.

Vagos e Extintos? O que o Bolsonaro quer?

Poupar! E sejamos claros, essa não é uma preocupação só dele. Ele não foi o primeiro a fazer isso, recentemente (2018) o nosso vampirão favorito também deu umas canetadas. Porém nesse episódio as áreas afetadas eram menos estratégicas.

Que isso vai impactar nos serviços públicos federais parece um tanto claro, mas como isso vai impactar na vida do concurseiro?

A extinção de um cargo significa que não haverá mais oferta para ele. Vou dar um exemplo para entender: vamos supor que o governo tenha 20 cargos para blogueiros federais. 5 blogueiros cansaram dessa vida e exoneraram. Isso significa que existem 20 cargos e 5 estão vagos, logo, é possível abrir um edital de concurso oferecendo 5 vagas.

Existem N funções federais que têm déficit de funcionários e são estão esperando um concurso para preenchê-las… Pois bem, quando um Decreto extingue um cargo, ele desaparece do sistema. Não haverá mais blogueiros federais e não adianta esperar por um concurso para conseguir uma vaga que não existe!

É nesse ponto que o governo poupa. Se no orçamento estavam previstos os gastos fixos de 20 funcionários blogueiros, para o próximo ano vamos cortar esses gastos. Portanto, o governo pretende cortar os gastos de 27 mil servidores (alguns imediatamente, outros com o tempo).

Sua vida é afetada aí! Se você esperava um concurso para algum cargo/área que está nessa lista, acho melhor repensar seus planos!

Mas como fica agora?

A gente só pode especular, pois algumas funções – como a de saúde que citei – são importantíssimas, ainda mais em época de Coronavírus. Suprir a demanda de pessoas por essas funções provavelmente será uma solução temporária, com concursos para contratados e não efetivos.

Essa é uma informação que mostra dois lados, o racional ao excluir funções obsoletas de verdade e irracional, pois existem funções essenciais no meio disso.

Economicamente também vemos dois lados: o governo poupa em um e gasta no outro (o quanto um hospital não gastará a mais para atender alguém que poderia não apresentar nenhum problema apenas com uma visita do agente de saúde?).

Além disso resta o lado concurseiro. Com uma oferta menor, o candidato(a) poderá ter que repensar suas escolhas, talvez fazer um pequeno desvio…?

Nisso podemos te ajudar! Se está em dúvidas sobre qual lado você deve seguir, aqui embaixo você encontra acompanhamento completo, desde a escolha da sua área até a montagem do seu plano de estudos!

Blog tipo notícia? As vezes nós temos!

Espero que tenham gostado. Ficou alguma dúvida sobre o tema? Escreve aí! Gostaríamos muito de lê-la!

Qual sua dúvida ou comentário sobre esse conteúdo?

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado

Quer receber notícias sobre Concursos Abertos? Cadastre-se em nossa newsletter


Sobre nós

Somos o Instituto Maximize de Educação, uma empresa especializada na preparação de Apostilas em PDF e Cursos Online para Concursos Públicos e Vestibulares.

Saiba mais