Confira agora o guia completo sobre como estudar para concurso

como estudar para concurso
Por Matheus De Marchi 08 jul 2019 - 16 min de leitura
16 min

A carreira de servidor público é o sonho de muitas pessoas. Por isso, as seleções costumam ser bastante exigentes e concorridas. Mas se você não sabe como estudar para concurso, não se desespere ainda!

Neste guia, vou explicar os principais pontos dessa jornada pela aprovação, começando pela elaboração de um roteiro de estudos e técnicas para aprender melhor, até a escolha de materiais de apoio. Vamos lá?

O roteiro de estudos: como fazer de forma eficiente?

O plano de estudos é fundamental em uma preparação para concursos públicos. Ele serve para orientar o concurseiro quanto ao tempo de estudo dedicado a cada assunto, além de ajudar na organização da rotina (bastante corrida) de quem vai encarar esse desafio.

Por isso, veja mais sobre a importância do roteiro e um passo a passo de como compor um!

A importância do roteiro de estudos

Quando vamos prestar um concurso, a data da prova pode até parecer distante, mas não se engane: a carga de estudos é grande! Por isso, organizar os tópicos que precisam ser vistos é muito importante para não deixar nada de fora.

Já pensou se, nas vésperas do concurso, você percebe que ainda não revisou as Figuras de Linguagem? As pernas podem ficar trêmulas, e com razão! Afinal, cada acerto é decisivo na sua classificação e, exatamente por isso, um assunto que não foi visto pode ser o responsável pela sua reprovação.

Além disso, o roteiro também serve como um estímulo para o concurseiro adotar de vez uma rotina de estudos. Sem um planejamento e com a planilha ficando cheia de pendências, você pode achar que um dia de folga (ou dois, ou três…) não fazem tanta diferença. Acredite: fazem!

Passo a passo para montar seu roteiro

E então, como montar um roteiro? Se você não sabe por onde começar, veja um passo a passo para fazer seu planejamento.

1. Defina qual será a sua rotina de estudos

Em primeiro lugar, você precisa estabelecer qual será sua rotina de estudos. Para isso, pegue um papel e anote os horários mais ou menos fixos do seu dia a dia. Depois, veja em que janelas você pode encaixar a preparação para o concurso, como este exemplo:

  • 05h30-06h00: acordar e tomar café;
  • 06h00-07h30: estudos;
  • 07h30-08h00: tomar banho e se arrumar;
  • 08h00-09h00: locomoção para o trabalho;
  • 09h00-17h00: trabalho;
  • 17h00-18h00: locomoção para casa;
  • 18h00-19h00: jantar e descanso;
  • 19h00-22h00: estudos;
  • 22h00-22h30: preparação para dormir;
  • 22h30-05h30: sono.

Nesse exemplo, o concurseiro tem 04 horas e 30 minutos por dia para estudar. Você viu que também destacamos os horários de locomoção? Sim! Essas brechas podem ser usadas para os estudos, desde que você não tenha que dirigir, é claro!

Se estiver no transporte público, aproveite para escutar um podcast educativo, ouvir uma videoaula ou ler algum texto teórico.

Se você também pretende estudar aos fins de semana, prepare um cronograma diferenciado para esses dias. Dá para deixar algumas horinhas a mais destinadas ao sono e janelas para o lazer — todo mundo merece um pouco de descanso!

2. Classifique as matérias por peso

Outro passo importante antes de montar seu plano de estudos é separar os tópicos que precisam ser encaixados. Para isso, a dica de ouro é se basear nos editais anteriores do concurso e nos assuntos mais cobrados de modo geral.

Depois disso, é hora de definir pesos para essas matérias. Os assuntos que merecem mais atenção devem ter uma carga horária maior na sua grade, além de mais situações de revisão. São elas:

  • matérias definidas com maior peso pelo edital (a depender da vaga pleiteada);
  • matérias que você tem mais dificuldade.

3. Monte uma grade horária

Agora que você sabe qual é sua disponibilidade de tempo para estudar e as matérias que precisa encaixar, é hora de montar uma grade — igual a que você tinha na escola. Isso é essencial para manter o ritmo de estudos e não deixar nada de fora.

Para isso, é preciso definir a duração de uma “aula”, mas não precisa ser hora cheia — blocos de 30 ou 45 minutos podem funcionar bem.

Lembre-se de que as matérias com maior peso precisam ser mais estudadas. Por isso, tente dedicar pelo menos meia hora extra por dia para elas, em comparação às demais.

Outra dica essencial nessa etapa é intercalar matérias. Mais vale estudar 40 minutinhos de um assunto por dia, com um excelente rendimento, do que 3 horas sem fixar nada. Afinal, quando vemos a mesma coisa por muito tempo, o cérebro pode ficar fadigado, e seu desempenho, comprometido.

4. Reserve horários para o estudo teórico e o prático

Como estudar para concurso sem resolver questões? Simplesmente não dá! Os exercícios ajudam a fixar melhor a matéria, além de ambientarem o concurseiro ao estilo da prova. Portanto, eles precisam ter um horário reservado na grade.

Você pode, por exemplo, deixar a primeira hora de estudos do dia dedicada aos exercícios das matérias vistas no dia anterior. Depois de conferir as respostas, marque com um post-it as questões mais complexas para serem refeitas na revisão.

5. Faça ciclos de revisões

Revisar o conteúdo é tão importante quanto resolver exercícios. Para isso, faça ciclos no seu cronograma. Por exemplo: a cada 5 tópicos finalizados, um dia só para revisão. Ou ainda: após 3 semanas de estudo, a quarta é só para rever os assuntos abordados.

É legal também planejar o ciclo geral de revisões nas vésperas do concurso. Assim, você consegue se organizar para ver todos os tópicos até cerca de um ou dois meses antes do “Dia D”, deixando as últimas semanas só para revisar e aparar as pontas soltas.

6. Prepare o terreno

Montou a grade? Ótimo! O olho chega a brilhar, não é? Mas partir para o campo da ação nem sempre é tão fácil. Para que esse planejamento todo não seja em vão, prepare estratégias de motivação para se manter firme no cronograma, como:

  • peça a um amigo para cobrar a conclusão dos tópicos;
  • escreva seu objetivo de passar em um concurso em um local que você olha todos os dias, como o espelho do banheiro;
  • arrume seu “cantinho dos estudos”;
  • use um calendário para marcar a contagem regressiva para a data do concurso.

O edital do concurso: como se organizar após a publicação?

O análise do edital do concurso é quase um mapa para o tesouro, sabe? Ele pode ser chamado de manual do concurseiro, já que traz informações como:

  • descrição das vagas abertas;
  • datas para inscrição e realização do exame;
  • dados sobre a divulgação dos resultados;
  • composição do exame (quantidade de questões, estilo da prova etc.);
  • conteúdo cobrado;
  • peso das disciplinas de acordo com a vaga pleiteada;
  • critérios de seleção.

Prestou atenção no “conteúdo cobrado”? Sim: todos os editais trazem uma lista dos tópicos que podem cair na prova. No entanto, embora eles precisem ser divulgados com, pelo menos, 60 dias de antecedência à prova, dois meses é pouco para estudar, concorda?

Por isso, o edital do concurso público deve servir para sua reorganização na etapa final dos estudos. Isso mesmo: na etapa final. Porque idealmente você já terá estudado grande parte dos assuntos cobrados (que podem ser vistos nos editais anteriores). Aproveite esse momento para:

  • ler o edital de trás para frente;
  • ver se há detalhes novos;
  • aproveitar o ânimo novo e aumentar o rendimento.

As técnicas de estudo: como fixar o conteúdo?

Bom, não podemos ficar só no planejamento, não é? Para colocar a “mão na massa” de vez, veja algumas técnicas de estudo para fixar melhor os conteúdos!

Estudo teórico

O estudo teórico é a primeira parte de um aprendizado. Você precisa ler algum texto sobre o assunto ou assistir a aulas para, depois, conseguir resolver exercícios. Nessa etapa, algumas dicas são:

  • ler antes de assistir às aulas: quando você lê alguma coisa antes de ver a explicação de um professor, é como se as peças fossem se encaixando no decorrer da aula. Por isso, o aprendizado é muito maior assim do que quando a informação vem do zero;
  • grifar partes importantes: durante a leitura, adquira o hábito de grifar trechos ou palavras-chave importantes do conteúdo, para depois sintetizar as ideias em um resumo;
  • fazer resumos: escrever com suas próprias palavras o que foi estudado é muito útil para fixar o conteúdo, além de facilitar a hora da revisão depois;
  • criar mapas mentais: já ouviu falar deles? Os mapas mentais são uma forma visual de registrar informações sintetizadas do assunto — são excelentes para memorização e organização de ideias.

Estudo prático

Depois da parte teórica, vem o estudo prático. A dica nessa etapa é resolver um punhado de questões, conferir os erros e fazer fichas com as respostas certas dos assuntos em que você têm mais dificuldade.

Assim, ficará mais fácil revisar os exercícios que você errou e fixar qual é a resposta esperada. Para isso, busque em bancos online de questões e veja se o concurso que você vai prestar disponibiliza as provas anteriores.

Revisões

Depois de tanto trabalho, a revisão é como a cereja do bolo para fixar de vez um assunto. Nessa etapa, algumas técnicas interessantes são:

  • leitura em voz alta: ler seus resumos em voz alta faz parte de um estudo ativo e mais dinâmico. Aproveite para fazer um “resumo do resumo” — quando conseguimos sintetizar um assunto, temos maior domínio sobre ele;
  • interrogação elaborativa: o quê, quem, quando, onde, como? Responda rapidamente essas questões sobre o assunto visto;
  • autoexplicação: que tal brincar de “escolinha” sozinho? Parece loucura, mas explicar o assunto para si mesmo, como se fosse uma aula, é excelente para fixar a matéria;
  • resolução de mais exercícios: finalize a revisão com mais exercícios — eles nunca são demais!

Dicas extras

Não é só de técnicas de estudo infalíveis de que vive o concurseiro. A preparação para o concurso público envolve muitos outros aspectos, como seu bem-estar físico e disposição mental. Então, se você quer outras dicas para potencializar seu rendimento, anote aí:

  • não negligencie o sono: se a vontade de estudar todas as horas do dia é grande, tudo bem. Mas dormir pouco vai resultar em um acúmulo de cansaço que, mais cedo ou mais tarde, prejudicará o aprendizado;
  • programe pausas: no mesmo sentido, estudar muitas horas seguidas é fatigante. Por isso, programe pequenas pausas a cada bloquinho de estudos — você pode usar a técnica Pomodoro para controlar essas interrupções, vamos falar dela logo mais;
  • estude as matérias mais difíceis primeiro: deixar o que você não gosta ou tem mais dificuldade para o final é um “tiro no pé”, porque já estará cansado e terá muito mais chances de desistir;
  • reveja o roteiro de estudos regularmente: a cada mês, por exemplo, veja se dá para melhorar seu roteiro, seja retirando horários que não estão dando certo, seja remanejando as matérias para evitar a combinação de assuntos muito pesados no mesmo dia.
  • planeje atividades de lazer: encontrar o equilíbrio entre lazer e estudos é importante para seu desempenho nessa preparação. Acredite: aquele passeio com os amigos no fim de semana pode parecer uma perda de preciosos minutos, mas pode resultar em um outro ânimo para encarar a semana de estudos.

A gestão de tempo: como dar conta de tudo?

Você já tem boas dicas de como estudar para concurso de forma eficiente. Mas não se engane: sem uma boa gestão de tempo no dia a dia, todo esse planejamento pode ir por água abaixo.

Então, como organizar o tempo para estudar de modo que a matéria não se acumule e você dê conta de todos os afazeres diários? Veja algumas dicas!

Defina objetivos plausíveis

Um segredo para manter o foco e estimular o cumprimento de prazos é definir objetivos. Veja bem: se você não sabe exatamente para onde está indo, fica muito mais fácil perder o rumo.

Vamos ser sinceros: a rotina de estudos para concurso público é cansativa. Se esse cansaço for maior que a sua motivação, atrasar horários, dormir até mais tarde e pular tópicos do cronograma serão consequências esperadas.

Para definir os objetivos que movem seus esforços, a regra é pensar em algo que tenha estes 5 atributos (a conhecida Meta Smart):

  • especificidade (Specific);
  • possibilidade de ser mensurado (Measurable);
  • plausibilidade (attainable);
  • relevância (relevant);
  • prazo definido (time based).

Exemplo: “passar no concurso do TRF-4 em 2019 para ser Técnico Judiciário e ganhar R$7,5 mil de salário”.

Bloqueie distrações

Outra dica para manter a rotina em ordem é bloquear distrações nos momentos de produção, seja o trabalho, seja o período dedicado aos estudos. O smartphone, a aba com um vídeo do YouTube ou a TV são inimigos da produtividade.

Esses estímulos são bastante chamativos e fazem você desviar o foco, atrapalhando a disciplina no cumprimento do cronograma. Mas e aí? Você precisa se refugiar em um bunker isolado até a data da prova?

Não exatamente! Para conseguir resistir à tentação de dar uma espiada nas notificações, a dica é programar pausas justamente para esse fim. A cada 2 horas, permita-se 10 minutinhos de redes sociais, por exemplo.

Aumente sua produtividade

Falhar no cronograma porque você não conseguiu estudar tudo o que precisava no tempo planejado é outro problema possível. Tem sempre um assunto ou outro que parece “empacar”. Ou, ainda, um tópico que prende tanto a sua atenção que, quando você se dá conta, já está nele há 2 horas e ainda não fez os exercícios.

Para ajudar a sua produtividade e evitar problemas como esse, a Técnica Pomodoro é interessante. Funciona assim: programe alarmes em blocos de 20 a 50 minutos. A ideia é estudar ininterruptamente por esse período, mesclando com pausas de 5 minutos.

Esse tempo é chamado de pomodoro e, no original, corresponde a 25 minutos, mas você pode adaptar para o que funciona melhor para você. A cada quatro pomodoros, faça uma pausa mais longa, de 20 a 30 minutos — essa pode ser a brecha para conferir o celular.

Use a tecnologia como aliada

As tecnologias digitais facilitam muito a nossa vida em muitos aspectos. Para otimizar o gerenciamento de tempo, não é diferente. Você pode ter aplicativos para fazer listas de tarefas, agendar virtualmente seu planejamento de matérias e usar nuvens para acessar seu cronograma onde estiver.

Alguns exemplos de ferramentas que ajudam a se organizar são:

  • o Trello: para fazer listas e especificar tarefas;
  • o Mindmeister: que cria mapas mentais e ajuda a fixar o conteúdo;
  • o Dropbox: para salvar arquivos na nuvem e acessá-los a qualquer hora e lugar;
  • o Google Agenda: para planejar sua rotina e programar prazos.

O material de apoio: onde encontrar e como escolher?

Chegando ao fim do nosso guia, temos uma informação que pode ser inesperada: a internet, com esse mar de informações ao alcance de um clique, não é uma grande aliada dos seus estudos. Sabe por quê? Justamente pelo excesso de opções.

Se você guardou na pasta de favoritos uns 10 sites com conteúdos para concurso, vai perder um bom tempo todos os dias só filtrando textos e diferenciando o que realmente ajuda ou não.

A melhor coisa nesse momento é ter foco, até mesmo no material. Ter um ou dois sites muito bons com dicas para os estudos é ótimo! Mas contar com uma apostila específica e de qualidade é essencial.

Assim, você pode até seguir o sumário de tópicos para organizar seu roteiro de estudos. Mas, para isso, o material precisa ser de confiança! Ou seja, ter qualidade nos textos, bons exercícios e explicações didáticas.

E onde você encontra boas apostilas? Bem, você pode:

  • vasculhar sites que vendem livros usados até encontrar opções mais atuais e em bom estado;
  • comprar apostilas avulsas de empresas especializadas;
  • matricular-se em um curso preparatório para, além do material, ter outros benefícios exclusivos.

Os cursos preparatórios: são mesmo importantes?

Falando em curso preparatório, vamos conversar um pouco. Para começar, eles existem aos montes, e não sem um motivo: são muito eficazes!

É possível estudar completamente sozinho? Claro que é! Mas além de exigir organização e disciplina extras, a preparação autodidata pode ter deficiências que um curso — com materiais personalizados, professores e plantões de dúvidas — consegue solucionar.

Afinal, cursos preparatórios para concursos públicos são especializados nesse tipo de prova. Veja uma descrição básica das vantagens para o concurseiro:

  • você tem acesso a videoaulas feitas por professores com experiência;
  • além do material básico, você consegue fazer inúmeras questões de concursos anteriores, já selecionadas por tópicos;
  • as apostilas, muitas vezes, são disponibilizadas nas versões impressa e online;
  • os cursos tendem a ser bastante específicos;
  • dependendo da instituição de ensino, você consegue personalizar sua grade de aulas, colocando conteúdos mais voltados para as áreas em que tem mais dificuldade;
  • se a escola for de qualidade, você pode contar com diferenciais, como grupos de estudo e acompanhamento de tutores.

Além disso, muitos cursos também são oferecidos na modalidade EAD, o que é interessante para quem quer otimizar a gestão de tempo e evitar deslocamentos mas, ainda assim, contar com todas essas vantagens.

Como escolher um bom curso preparatório?

Para escolher cursos online ou presenciais, alguns critérios são fundamentais. Aliás, definir se você vai estudar em sala de aula ou a distância é um ótimo passo inicial. Assim, você já começa a filtrar as opções. Outros critérios são:

  • reputação da instituição: faça uma pesquisa sobre a experiência da escola, seu índice de alunos aprovados, depoimentos de ex-estudantes, comentários nas redes sociais etc.;
  • reclamações sobre a escola: nos sites de proteção ao consumidor, você consegue visualizar se a instituição de ensino costuma responder e solucionar as reclamações. Atenção! Ter alguns alunos insatisfeitos com alguma coisa é normal, principalmente se a escola é grande. O mais importante é observar como a empresa se sai diante disso e se ela se preocupa em sanar dúvidas;
  • didática das aulas: além de ter confiança na instituição de ensino, você precisa avaliar o método de ensino e verificar se a didática dos professores é eficaz na transmissão de conhecimento;
  • atualização de conteúdos: uma boa escola de cursos preparatórios para concursos está sempre reformulando a grade, atualizando apostilas e revisando o método para atender às novas demandas dos editais;
  • funcionalidades da plataforma: se o curso for oferecido a distância ou no modelo semipresencial, é indispensável conferir os recursos da plataforma para ter certeza de que terá uma boa experiência de navegação durante os estudos.

E aí, pronto para encarar as apostilas? Depois deste guia, você viu como estudar para concurso público de modo eficiente, certo? São muitos pontos a se pensar: roteiro, gestão de tempo, materiais etc. Por essas e outras, uma boa dose de organização é bem-vinda, além dos cursos preparatórios, que são grandes aliados nessa hora.

Antes de partir para os livros, assine a nossa newsletter! Assim, dá para avisar você por e-mail sempre que saírem dicas fresquinhas para a sua aprovação!

Qual sua dúvida ou comentário sobre esse conteúdo?

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado

Quer receber notícias sobre Concursos Abertos? Cadastre-se em nossa newsletter


Sobre nós

Somos o Instituto Maximize de Educação, uma empresa especializada na preparação de Apostilas em PDF e Cursos Online para Concursos Públicos e Vestibulares.

Saiba mais