fbpx

República Velha para o concurso PM-CE: Confira os principais tópicos!

Por Matheus De Marchi 22 ago 2021 - 4 min de leitura
4 min

Se você está se preparando para o concurso da PM-CE, já sabe que o edital está cobrando temas de história regional. A seguir você pode conferir alguns tópicos a respeito do período conhecido como República Velha dentro da história do Ceará.

Mas presta atenção! A gente só vai dar aquela passadinha, para um material completo você pode contar com a Maxi!

A República Velha

https://giphy.com/gifs/3o7aboekyiBIoMWB7a

Antes de tudo, vamos nos localizar temporalmente. Quando falamos em República Velha, estamos falando do período da história do Brasil entre os anos 1889 e 1930. Os eventos que marcam esse período de tempo são a Proclamação da República e a Revolução de 1930, respetivamente.

Embora tenha existido alguma variação por todo o país, podemos apontar como principais características políticas desse período as práticas do coronelismo e do clientelismo.

No coronelismo, alguma poderosa figura regional (normalmente um grande proprietário de terras) fechava uma aliança com algum político ou grupo político em troca de benefícios. Por sua vez, ele oferecia o apoio popular das pessoas que estavam sob sua influência. O coronel usava quaisquer meios disponíveis para garantir que seu rebanho apoiasse seu candidato (sim, qualquer meio mesmo!).

Já no clientelismo, a relação era considerada menos tóxica. Ela podia se ser de político para político ou de político para cidadão. E consistia em trocas de favores, como oferta de cargos públicos até a atendimentos em hospitais (variava de acordo com a importância do cliente).

No meio disso tudo, e o Ceará?

A situação social e econômica do Ceará no período posterior à Proclamação da República era similar à de outras regiões do país (muito ruim). Esse cenário propiciou o início de alguns movimentos sociais/religiosos liderados por personagens históricos famosos como Antônio Conselheiro (que formaria na Bahia o arraial de Canudos), Padre Ibiapina, Padre Cícero, Beato Zé Lourenço (…). Guardem essa informação, já já a gente puxa ela!

Na questão política regional, por obrigação temos que destacar a oligarquia acciolina, protagonista durante o período da República Velha no Estado e que recebeu esse nome devido a Antônio Pinto Nogueira Accioli, governador entre os anos 1896 e 1912.

A família Accioli foi um exemplo claro de coronelismo, em que ela controlava diversas esferas do Estado e de cidades importantes.

Um breve intervalo

Um dos eventos mais marcantes durante o período da República Velha foi o embate político entre Franco Rabelo e Domingos Carneiro.

Em uma tentativa de enfraquecer o poder das oligarquias, o então presidente Hermes da Fonseca apoiou a candidatura de Franco Rabelo para o governo estadual. Esse plano ia de encontro aos interesses da família Accioli que apoiava Domingos Carneiro.

Durante o período de campanhas, houveram manifestações e violentas repressões por parte das forças policiais (que atendiam ao lado governista – acciolino). Isso provocou um efeito de aversão da população de Fortaleza, o que levou a conflitos nas ruas por cerca de três dias.

O resultado foi a renúncia de Accioli e a posterior eleição de Franco Rabelo.

Sedição de Juazeiro

Entre os anos de 1913 e 1914, uma revolta (Sedição de Juazeiro) ocorreu na região.

Em um contexto similar a Canudos, em que Padre Cícero surge como líder religioso em um trabalho social e sem o apoio da alta hierarquia católica, Padim Ciço (como era conhecido) não encontrou outra saída que a de se aproximar de forças políticas, em uma tentativa de fugir do mesmo fim que Canudos teve devido ao seu isolamento.

Aliando-se a oligarquia Nogueira Accioli, Padre Cícero garantiu alguma segurança para seus seguidores e apoio popular à principal oligarquia da região.

A Sedição se deu pelo confronto das tropas de Fortaleza (apoiadoras de Franco Rabelo) e os sertanejos seguidores de Padre Cícero, junto dos apoiadores de Accioli.

Após meses de tensão e conflitos, as forças de Rabelo são derrotadas e os sertanejos marcham em direção a Fortaleza obrigando o então governador a renunciar.

Pode-se dizer que após esse episódio, as oligarquias cearenses encontraram certo equilíbrio (quanto a embates militares).

Porém o censo comum é que o povo, apesar da participação de destaque, voltou a sua posição marginal e sem voz política.

Outros eventos e notas importantes ocorreram na história local cearense. Você pode conferir tudo isso estudando com a nossa ajuda, utilizando esse material.

Foco na tarefa e pra cima deles!

Bons estudos e ótima prova.

Qual sua dúvida ou comentário sobre esse conteúdo?

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado

Quer receber notícias sobre Concursos Abertos? Cadastre-se em nossa newsletter


    Sobre nós

    Somos o Instituto Maximize de Educação, uma empresa especializada na preparação de Apostilas em PDF e Cursos Online para Concursos Públicos e Vestibulares.

    Saiba mais