Saiba a importância do Evento Adverso no Cuidado à Saúde

Por Ana Paula Fernandes 21 dez 2018 - 5 min de leitura
5 min

O Evento adverso é uma ferramenta muito utilizada na área da saúde, porém pouco divulgada na sociedade. Conheça agora mais quais são os eventos adversos mais frequentes na rotina da população, como é feita a notificação pelo cidadão e a importância na sociedade.

 

Evento Adverso na Qualidade da Assistência à Saúde

 

http://www.sadamweb.com.ar/news/2018_09Septiembre/NewsletterSADAM_2018_09Septiembre.htm

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica eventos adversos como incidentes que resultam em danos não intencionais decorrentes da assistência e não relacionados à evolução natural da doença de base do paciente.

O Notivisa é um sistema informatizado desenvolvido pela Anvisa para receber notificações de incidentes, eventos adversos (EA) e queixas técnicas (QT) relacionadas ao uso de produtos e de serviços sob vigilância sanitária.

 

Segue abaixo alguns exemplos de notificações de eventos adversos que podem ser feitas no Notivisa:

– Incidente / evento adverso durante procedimento cirúrgico;

– Queda do paciente;

– Úlcera por pressão (feridas na pele provocadas pelo tempo prolongado sentado ou deitado);

– Reação adversa ao uso de medicamentos;

– Inefetividade terapêutica de algum medicamento;

– Erros de medicação que causaram ou não dano à saúde do paciente (por exemplo, troca de medicamentos no momento da administração);

– Evento adverso decorrente do uso de artigo médico-hospitalar ou equipamento médico-hospitalar;

– Reação transfusional decorrente de uma transfusão sanguínea;

– Evento adverso decorrente do uso de um produto cosmético;

– Evento adverso decorrente do uso de um produto saneante.

O sistema possibilita a opção da notificação por cidadãos (pacientes, familiares, acompanhantes e cuidadores) e pelos Núcleos de Segurança do Paciente (NSP) regulamentado pela RDC nº 36.

A notificação do cidadão é voluntária, os dados sobre os notificadores são confidenciais, obedecidos aos dispositivos legais, e sua guarda é de responsabilidade do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS). É necessário ressaltar que a identificação do notificador não será divulgada para o serviço de Saúde, de forma que a confidencialidade esteja garantida. As notificações também estarão acessíveis à unidade de Saúde envolvida no relato para o devido tratamento.

A notificação de eventos adversos pelo NSP é obrigatória, de acordo com a RDC nº 36/2013, e a identificação do serviço de Saúde também é confidencial, obedecidos aos dispositivos legais. Os dados, analisados pela Anvisa, serão divulgados de forma agregada, gerando produção de conhecimento e informação, não sendo possível identificar a fonte geradora da informação.

Os formulários disponibilizados para notificação de eventos adversos relacionados à assistência em saúde não necessitam da identificação do paciente que sofreu o evento adverso, ela não será analisada individualmente e também não resultará na punição dos envolvidos. Seu uso é de cunho epidemiológico.

Somente os formulários disponíveis para notificação no Notivisa referentes a produtos requerem identificação do paciente, pois se tratam de eventos com suspeita de relação direta com produtos sob vigilância sanitária, sobre os quais, muitas vezes, podem ser necessárias investigações caso a caso, necessitando de ações laboratoriais e dados clínicos dos pacientes envolvidos.

 

Estatística dos NSP

 

De março de 2014 a setembro de 2018 foram registrados 3.840 eventos adversos no país. Os estados que mais registraram foram Minas Gerais com 673 registros seguido por São Paulo com 568 registros e Goiás com 363 registros. Nesse mesmo período observa-se o aumento no número de notificações por mês de 873 incidentes para 9.577 incidentes registrados ao mês.

Em relação ao tipo de serviço onde ocorreu os incidentes aparece em primeiro lugar os Hospitais com 228.366 seguido dos Serviços Exclusivos de Urgência e Emergência (Exemplo UPA) com 4.397 e Ambulatórios com 2.479 número de incidentes. Nas Unidades Hospitalares os setores que mais ocorreram esses números de incidentes foram: Setores de Internação apresentou 119.738, Unidade de Terapia Intensiva com 66.185 e Urgência/Emergência com 17.143.

Agora em relação ao tipo de incidentes notificados também no mesmo período avaliado o mais notificado foi outros com 73.411, Falhas durante a assistência à saúde 61.907 e úlcera de pressão 44.282. Em relação aos incidentes classificados como outros foram: perda ou obstrução de sondas com 16.777, flebites com 12.768 e notificações envolvendo cateter venoso 10.693. Já em relação a Falhas durante à assistência à saúde os processos envolvidos foram: Procedimento/Tratamento/Intervenção com 41.365, seguida da Assistência geral com 16.613 e Diagnóstico/Meios complementares de diagnóstico com 2.068.

 

A Importância das notificações

 

 Evento adverso é uma ferramenta muito utilizada na área da saúde, porém pouco divulgada na sociedade.

https://iesseduca.iess.gob.ec/course/info.php?id=16

 

As notificações recebidas por meio dos formulários disponibilizados poderão ser analisadas pelo próprio serviço de saúde e pelo SNVS para identificar padrões e tendências sobre a segurança do paciente, priorizando a aprendizagem contínua. Assim, será possível desenvolver soluções com o intuito de evitar que danos aos pacientes em serviços de saúde venham a se repetir, melhorando a qualidade e a segurança do paciente nestes serviços.

O formulário dedicado à parte de cuidados em saúde não tem qualquer caráter punitivo, mas possui dois grandes objetivos. Um deles é promover em serviços de saúde a cultura de investigação e de melhoria contínua de seus processos por meio dos dados coletados.

O segundo é a captação de informação sobre EAs que levaram ao óbito e aos eventos graves, que estão sinalizados no sistema. Ambos, para fins de monitoramento, são considerados eventos sentinela, isto é, são entendidos como traçadores de tomada de decisão e fortalecimento de ações regulatórias.

Essa decisão foi pautada nas características destes tipos de incidentes que nunca deveriam ocorrer (never events) e dizem respeito à qualidade do serviço de saúde.

De acordo com o artigo 10 da RDC nº. 36/2013, o serviço de saúde dispõe de 72 horas para notificar óbitos (como descrito no texto legal), assim como os never events, que estão destacados no sistema como “eventos graves”.

Podemos concluir que os eventos adversos ocorrem devido incidentes não intencionais e com os dados gerados através da notificação é permitido o mapeamento das possíveis causas como falta de conhecimento e habilidade, fadiga e pressão por produtividade aumentam os riscos de erros no cuidado de saúde. Para que se tenha serviços de saúde com qualidade é necessário criar e fortalecer condições para o desenvolvimento de uma política de segurança do paciente, eficaz.

 

Caro leitor deixe o seu comentário e até o próximo post!

Qual sua dúvida ou comentário sobre esse conteúdo?

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado

Quer receber notícias sobre Concursos Abertos? Cadastre-se em nossa newsletter


Sobre nós

Somos o Instituto Maximize de Educação, uma empresa especializada na preparação de Apostilas em PDF e Cursos Online para Concursos Públicos e Vestibulares.

Saiba mais