fbpx

Por que você deve evitar comparações ao estudar?

É inevitável... Aliás, é quase uma necessidade! Quando você estuda para concursos públicos comparar-se a outras pessoas parece ser um tópico do edital.
Por Matheus De Marchi 27 jan 2020 - 6 min de leitura
6 min

É inevitável comparações… Aliás, é quase uma necessidade! Quando você estuda para concursos públicos comparar-se a outras pessoas parece ser um tópico do edital. Estude Língua Portuguesa, Direito Tributário, Administração e Se Compare a Alguém! Natural, não é?

Essa é uma prática que até faz muito sentido, afinal, se eu não comparar com alguém/outro resultado, como saberei como/onde estou? Como saberei se estou indo pelo caminho certo?

Já adianto: de qualquer outra forma!

Fazer comparações quando se estuda (ou em qualquer atividade) pode ser muito prejudicial ao seu desempenho se você não tiver uma base emocional legal.

Vou falar com vocês aqui um pouco sobre por que você deve evitar comparações ao estudar e claro, sugerir hábitos mais saudáveis de determinar seu rendimento.

Cada um é cada um

Fazer comparações quando se estuda (ou em qualquer atividade) pode ser muito prejudicial ao seu desempenho.
<https://giphy.com/gifs/different-kH9DqbrbDYSQw>

Ah, as mamães! Como são sábias na sua crueldade com os filhos não é mesmo? A negativa preferida de todas as mães são as palavras que melhor descrevem esse tópico: “VOCÊ não é todo mundo!”.

É por aí que nós vamos. O erro da comparação se dá pelo princípio da mamãe-do-não. Ninguém é igual a ninguém. Não é saudável você se comparar nem com o colega de cursinho que parece saber mais do que o professor, nem com o colega de trabalha que parece ser uma portinha feliz. 

Do mais ligeiro ao mais lento, cada um tem uma história, uma base, um ritmo ou uma oportunidade diferente para estudar. O fato de você e mais três pessoas estarem a por exemplo dois anos estudando para concursos e um deles ter sido aprovado e os outros não, não quer dizer que alguém é melhor ou pior.

Quer dizer que são diferentes. Alguém pode ter tido uma educação de base melhor, mais tempo para estudar, menos responsabilidades em casa, material de maior qualidade… Nesse cenário você tem que entender que o seu ritmo é o seu ritmo.

E preste atenção! Se comparar com alguém que está pior do que você também é prejudicial lhe dando uma sensação falsa de sucesso temporário. O mesmo que vale para você, vale para o outro.

Ninguém vive os seus problemas (ou os dele), cabe a você esquecer os outros e fazer o que está ao seu alcance para evoluir. Se alguém evolui mais rápido ou não, bom ou mal para ele(a)!

O que importa é como você se vê

Fazer comparações quando se estuda (ou em qualquer atividade) pode ser muito prejudicial ao seu desempenho.
<https://giphy.com/gifs/5nkIn9AEfUQ6JtXL43>

A comparação se torna um problema quando você é uma pessoa insegura. Pode acontecer (por exemplo) de no cursinho com 15 pessoas, 10 serem aprovadas e 5 não. No próximo ano a turma tem 20 pessoas. 12 são aprovadas e 8 não.

Você estava entre os 5 e os 8 reprovados nas duas turmas e algum serumano com espírito de político brasileiro solta qualquer pérola te colocando para baixo. O que os outros idiotas vão dizer não é algo que você pode controlar, porém como você vai se sentir a respeito disso é!

Por mais que escute no cursinho ou na reunião de família piadinhas sobre os seus fracassos, é muito importante que você não se abale por isso. Você deve se enxergar como uma pessoa que está caminhando em busca do seu sucesso/sonho. Se alguém atingiu seu sonho com 02 meses de busca, ou a pessoa sonhou baixo demais ou é a própria personificação da sorte.

Se você deixar que esses pensamentos negativos entrem na sua mente, sinto muito, sua jornada será muito, mas muito mais difícil. Não deixe que ninguém gere cobrança, pressão ou desconforto com as SUAS escolhas.

No tempo certo você vai esfregar suas viagens nas redes sociais dos outros! Confia!

Supere você mesmo

Fazer comparações quando se estuda (ou em qualquer atividade) pode ser muito prejudicial ao seu desempenho.
<https://giphy.com/gifs/Het6YOoa0zpRu>

Entendi. Você é supercompetitivo… Sei lá, é de áries!?

Ou é bitolado mesmo e tem que se comparar com alguém/algo para ter real noção de como está indo…

Tudo bem…

Como já falamos, cada um é cada um. Já que você inevitavelmente vai cair nessa, pelo menos escolha a pessoa certa para se comparar: você!

Vou usar o esporte de exemplo. Há muito tempo atrás, antes dos 84kg, eu corria.

Blogueiro que corre? Ah!

É sério….

E não era para escrever blog de saúde…

Enfim! Corria… Logo de cara conheci algumas pessoas que já corriam e formamos um grupo… Até aí tudo bem… Ninguém era desproporcionalmente mais atleta do que o outro, todo mundo fazia aquilo por lazer. Só que o serumano é um bicho ruim né? Claro que ia rolar competitividade e claro que o blogueiro passou meses comendo poeira.

Essa não é uma história de superação sobre como depois de meses eu era o maior corredor da minha cidade de 60 mil habitantes. Não, eventualmente corri melhor do que uns, continuei mais lento que outros… Porém percebi que só evolui quando eu comecei a fazer comparações comigo mesmo. Meço 1,66m e por meses queria fazer o mesmo treino/ritmo do que o Pedro que media quase 1,80m. Eu já perdia no número de passadas. Era uma tentativa/comparação inútil!

Quando eu consegui acompanha-lo e eventualmente vencê-lo? Quando eu comecei a me superar. A cada mês vou baixar 2 min meu tempo no mesmo percurso (por exemplo). Eu estava me superando, independente do que ele fazia. Com o tempo eu me coloquei em uma posição que mesmo sem comparação direta, estava no nível dele (e dos outros).

Essa história serve para você? Claro!

Esqueça os outros. Estabeleça as SUAS metas e vá superando-as gradativamente. Naturalmente e inevitavelmente seu nível vai subir e você estará em nível de comparação com qualquer um (mesmo não fazendo disso uma meta).

Não faça comparações, admire!

Fazer comparações quando se estuda (ou em qualquer atividade) pode ser muito prejudicial ao seu desempenho.
<https://giphy.com/gifs/family-guy-peter-griffin-fC1HPbYpydrqM>

Para fecharmos não vou demonizar as comparações.

Mas quero deixar um destaque para o tipo de comparação. É legal e pode ser saudável que você tenha uma figura de sucesso para se comparar/espelhar. Pode ser sucesso financeiro, familiar, social, ou seja lá qual aspecto você considera importante ter sucesso.

Mas cuidado!

Não deixe essa comparação te prejudicar. Querer ter/ser como uma pessoa pode ser muito frustrante quando vemos a distância entre nós. Não se surpreenda em se pegar desejando o mal ao outro por conta da sua frustração.

Transforme essa comparação em motivação e admiração. Você não quer ter a inteligência daquela pessoa, você quer ser inteligente como ela. Você não quer ter a facilidade dela para se expressar, você quer ter a sua, do seu jeito. Não quer o cargo dele, quer um cargo como o dele, que proporciona as mesmas coisas (…).

Admire alguém e até se espelhe, mas dê o seu toque e atinja o sucesso como aquela pessoa.

Fulana trabalhava 10 horas por dia, estudava e passou no concurso X.

Pois é. Admire essa pessoa, se adapte ao que você pode e como ela, também tenha seu sucesso.

Lá na frente, bem na frente, você vai estar no estágio de só fazer comparações se o gramado é o mais verde da vizinhança.

E vai ser muito bom!

Bons estudos e ótima prova!

Qual sua dúvida ou comentário sobre esse conteúdo?

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado

Quer receber notícias sobre Concursos Abertos? Cadastre-se em nossa newsletter


    Sobre nós

    Somos o Instituto Maximize de Educação, uma empresa especializada na preparação de Apostilas em PDF e Cursos Online para Concursos Públicos e Vestibulares.

    Saiba mais