fbpx

Hacker ou Cracker – Quem é bom e quem é ruim nessa história?

Provavelmente você já ouviu alguém que estuda ou que trabalha com informática dizer que hacker não é um "cara" do mal, mas sim “do bem”.
Por Wesley Carçado 08 set 2017 - 4 min de leitura
4 min

Muito provavelmente você já ouviu algum colega que estuda ou que trabalha com informática dizer que hacker não é um “cara” do mal, mas sim “do bem”.

Será que ele está certo? E se ele estiver mesmo certo, então quem são os verdadeiros autores dos crimes cibernéticos que estão cada vez mais comuns no nosso cotidiano?

Continue lendo este texto que você vai entender isso rapidinho 😉

O conceito de Hacker.

De acordo com diversos sites que tratam sobre temas tecnológicos, o termo Hacker diz respeito a uma pessoa que possui alto conhecimento técnico em alguma área de estudo.

Ou seja, não há nada de errado ser um Hacker. Muito pelo contrário, se você é um Hacker, parabéns, isso quer dizer que você é inteligente e domina alguma técnica muito bem.

O termo hack, que deu origem a palavra Hacker, surgiu na década de 50 para descrever alterações que eram feitas em relés eletrônicos.

Mas por que ouvimos tanto sobre HACKERS que invadiram sites, ou roubaram senhas de contas bancárias, ou enviaram vírus para diversos órgãos públicos e tudo mais? Simples. O termo acabou se popularizando e pelo fato de um Hacker ter utilizado os seus conhecimentos para algo errado, toda a categoria ficou manchada.

Um dos primeiros hackers a criar esta mancha foi o americano Kevin Mitnick, que começou as suas trapaças com pequenos delitos, como derrubar redes de pequenas empresas, burlar sistemas de cartões de ônibus. Em meados da década de 90, Kevin foi preso e devido a utilização inadequada de suas habilidades, criou a categoria de hackers não-éticos, os CRACKERS.

Então o Hacker é mesmo bonzinho.

Sim, exatamente. Os Hackers utilizam seus conhecimentos normalmente para fazer alterações benéficas em softwares, e quando encontram alguma falha de segurança buscam informar os responsáveis pelo serviço, para que sejam feitas as devidas correções nas falhas.

Os Hackers que não respeitam as questões éticas de segurança, são conhecidos como Crackers, ou seja quebradores. Estes sim são os indivíduos citados nas reportagens, que informam quebras de senha, invasões de servidores, roubos de informações e ataques de negação de serviço, como foi o caso dos ataques de maio deste ano (2017).

Hackers e Crackers também possuem algumas divisões de categorias que definem algumas particularidades de cada um.

Noob

Independentemente de ser um Hacker ou um Cracker, ele pode ser um Noob. Um iniciante nos estudos de tecnologia.

É um termo muito utilizado em jogos, quando o jogador em questão é um novato e possui poucas habilidades no jogo, portanto ele é tachado de Noob.

White Hat

Estes são definitivamente os Hackers bonzinhos. Pela tradução literal do termo, temos Chapéu Branco. Esta categoria faz referência ao Hacker totalmente ético, que não produz ataques, mas apenas busca falhas de segurança em diversos sistemas e, como dito no início, informa estas falhas aos responsáveis, para que estas sejam corrigidas.

Gray Hat

Subindo um pouco na escala de maldade, existem também estes que não são Hackers totalmente éticos.

Trabalham como um White Hat, porém quando encontram uma falha em um sistema, antes de informar esta falha, muitas vezes eles exploram algumas vulnerabilidades, roubam informações para possivelmente obter algum lucro futuramente.

Basicamente é um Hacker em cima do muro, sem saber se age eticamente, ou se ataca como um Cracker.

Black Hat

E no topo desta escala, temos o Black Hat, que é uma outra nomenclatura para se categorizar o Cracker. Em muitos artigos é comum encontrar a referência de Hacker Terrorista para os Black Hats, pois estes não tem nenhum vestígio ético.

Todas as suas ações são pensadas em prejudicar uma determinada organização ou obter benefício próprio, podendo utilizar para isso chantagens, divulgação de informações sigilosas ou ataques que deixam serviços indisponíveis por um longo período de tempo.

Existem diversas categorias para deixar os conceitos de Hackers e Crackers bem definidos, porém os mais conhecidos são estes citados.

Agora fica mais fácil de entender por que muita gente fala que os Hackers não são maus não é mesmo?

Muitos artigos na internet tratam deste assunto para tentar desmistifica-lo e quebrar os preconceitos existentes sobre ser um Hacker. Já leu algum destes artigos e tem alguma informação que queira compartilhar conosco? Deixe seu comentário logo abaixo e faça a sua contribuição.

Caso encontre algum erro e queira sugerir alguma alteração pode ficar à vontade para deixar seu comentário também.

Um forte abraço e até a próxima.

Tutor: Wesley Carçado.

Qual sua dúvida ou comentário sobre esse conteúdo?

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado

Quer receber notícias sobre Concursos Abertos? Cadastre-se em nossa newsletter


Sobre nós

Somos o Instituto Maximize de Educação, uma empresa especializada na preparação de Apostilas em PDF e Cursos Online para Concursos Públicos e Vestibulares.

Saiba mais