Compreendendo Newton: aprenda os conceitos das Leis de Newton

Por Maxi Educa 11 dez 2017 - 4 min de leitura
4 min

Saudações senhoras e senhores restos de poeira estelar, cujo objetivo é entender melhor algumas das contribuições científicas que nosso grande amigo Newton nos deixou de herança. Sendo ele um astrônomo, filósofo, teólogo, alquimista, matemático e físico (que humilde), é considerado por muitos o maior cientista que já existiu. Sem mais delongas vamos nos adentrar nesse assunto maravilhouser.

Para melhor compreender as Leis de Newton é necessário primeiro entender o conceito de força. Existem muitos exemplos que podemos usar para definir esse conceito, como a força que fazemos em cada passo que damos, ou a força que é necessária pra levantar algum objeto, ou até mesmo a força de atração que nosso planeta exerce a todo corpo próximo a sua superfície.

E como definimos força?

Será que podemos dizer que força é a quantidade de músculos que uma pessoa tem? Não jovem Padawan, não é assim.

A força é definida como uma grandeza vetorial, ou seja tem módulo, direção e sentido (já começou a complicar né?), logo pode ser representada por um vetor.

Primeira Lei de Newton

Tomando como base e sintetizando os estudos de Galileu e de grandes físicos da mecânica, Newton elaborou o que ficou conhecida como a sua primeira lei. Onde é dito que:

“Na ausência de forças, um corpo em repouso continua em repouso e um corpo em movimento move-se em linha reta, com velocidade constante”

Ou seja, para que esse corpo esteja em equilíbrio, é necessário que duas forças ajam sobre ele. Onde essas forças podem ser representadas por uma resultante R das forças exercidas, determinada em módulo, direção e sentido. Onde é concluído que quando a resultante das forças que atuam nesse corpo for nula, se ele estiver em repouso continuará em repouso e, se ele estiver em movimento, vai estar se deslocando com movimento retilíneo uniforme (MUV).

Resumindo a primeira lei de Newton:

Para que um corpo consiga o seu real equilíbrio é necessário que, o corpo esteja em repouso ou o corpo esteja em movimento retilíneo uniforme. A primeira lei de Newton ficou conhecida como a lei da Inércia.

Segunda Lei de Newton

Bom, se a resultante das forças é nula o corpo pode estar em repouso ou em MUV. Legal, mas e se não for nula? Ou seja, se o corpo estiver sob a ação de uma força?

Então vamos lá jovem ser vivo que é insignificante diante da imensidão do universo.

Quando o corpo sofrer a ação de uma força “F” ele adquire uma aceleração “a” (vetores), onde se aumentarmos “F”, “a” também aumenta proporcionalmente (se duplicar um o outro também duplica e assim por diante). Portanto concluímos que:

– A força F que atua em um corpo é diretamente proporcional à aceleração que ela produz nesse corpo, essa relação é representada como F α a (onde α representa proporcionalidade).

– A massa de um corpo é o quociente entre essa mesma força que nele atua e a sua aceleração, sendo:

m = F / a

Fica compreendido então que quanto maior é a massa de um corpo maior a sua inércia, ou seja, a própria massa de um corpo é a sua medida de inércia. Também é observado que a resultante do vetor “a” sempre terá a mesma direção e sentido do vetor “F”, quando uma força é aplicada sobre um corpo alterando assim a sua aceleração. Portanto de acordo com a segunda lei de Newton:

“A aceleração que um corpo adquire é diretamente proporcional à resultante das forças que atuam nele e tem a mesma direção e o mesmo sentido desta resultante”

Para a segunda lei de Newton foi atribuído o nome de Princípio Fundamental da Dinâmica, e ficou conhecida como:

“Força é igual massa vezes aceleração” (F = m . a)

Terceira Lei de Newton

Seguindo estudos no campo da Dinâmica, Newton determinou que para que quando um corpo sofre uma ação (força), uma reação (força de novo) de mesma intensidade e direção mas com sentido oposto será aplicada na fonte dessa ação. Nessa linha de raciocínio Newton conclui que na interação entre dois corpos as forças sempre se apresentam em pares, ou seja, para cada ação de um corpo A em um corpo B sempre existira uma ação contraria e igual do corpo B para o corpo A, com a mesma intensidade (módulo) e direção, e o sentido contrário.

Para melhor ilustrar essa informação (e quando digo melhor, é melhor mesmo)

            Para melhor compreender as Leis de Newton é necessário primeiro entender o conceito de força

Lembrando que as forças de ação e reação são enunciadas conforme a terceira lei de Newton, sendo que a ação está aplicada em um corpo, e a reação está aplicada no corpo que provocou a ação, isto é, elas estão aplicadas em corpos diferentes. As forças de ação e reação não podem se equilibrar segundo Newton, porque para isso, seria necessário que elas estivessem aplicadas em um mesmo corpo, o que nunca acontece. A terceira lei de Newton é conhecida como lei da ação e reação que é dita pela famosa frase:

“Toda ação tem uma reação”

Então é isso caros amigos estudiosos. Espero que tenham compreendido um pouco melhor sobre esse assunto. Deixe seu comentário com críticas e sugestões.

E não se esqueça de curtir e compartilhar.

Bons estudos!!!

Tutor Fernando Massarotti

Referências:

ALVARENGA, B.; MÁXIMO, A. – Curso de Física, Volume 1 – editora Scipione, 1ª edição. São Paulo/2011.
FUKE, L. F.; YAMAMOTO, K. – Física para o Ensino Médio 1 – editora Saraiva, 3ª edição. São Paulo/2013.
Imagem Destacada:
https://news.nationalgeographic.com/news/2010/01/100104-isaac-newton-google-doodle-logo-apple/
Qual sua dúvida ou comentário sobre esse conteúdo?

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado

Quer receber notícias sobre Concursos Abertos? Cadastre-se em nossa newsletter


Sobre nós

Somos o Instituto Maximize de Educação, uma empresa especializada na preparação de Apostilas em PDF e Cursos Online para Concursos Públicos e Vestibulares.

Saiba mais