Você leu “meios de produção” e “modos de produção” e ficou na dúvida? A gente resolve!

Por Matheus De Marchi 03 jan 2019 - 9 min de leitura
9 min

Alguns termos que encontramos pelos editais da vida são super parecidos. Meios de produção e modos de produção são um exemplo disso. Têm “produção” no nome…. Começam com “m”… A gente teve contato com eles pela primeira vez nas aulas de história/geografia e são meio comuns né…

Aí a gente deixa eles de lado e nos concentramos no conteúdo que realmente não conhecemos (…). Então as bancas, motivadas por aquele “diabo” do meme das redes sociais sussurra no ouvido delas, que não se aguentam e mandam aquela questão pedindo os dois termos. E olha nossa surpresa: A gente esquece/confunde qual é qual! Claro…

Vamos nos prevenir e eliminar esse futuro problema?

Fique conosco e acompanhe as diferenças entre os termos e um breve histórico a respeito dos modos de produção.

 

Primeiro ele porque vem sozinho.

  Alguns termos que encontramos pelos editais da vida são super parecidos. Meios de produção e modos de produção são um exemplo disso.

<https://giphy.com/gifs/spongebob-squarepants-alone-lonely-ISOckXUybVfQ4>

 

Vamos matar o mais simples primeiro. Os meios de produção!

E aqui não tem muito como fugir. O meio de produção é literalmente o meio (noooosssssaaaa, que esperto!) ou o popular “de que jeito” o X foi feito.

A ideia é simples e a gente não vai complicar mais do que o necessário. Segundo um bondoso velhinho barbudo que veste vermelho, os meios de produção são compostos por objetos de trabalho e meios de trabalho.  

Objetos de trabalho seriam o material/recurso onde o trabalho humano é aplicado/notado. Pode ser a matéria-prima ou mesmo a base para que o produto X seja concebido. Por exemplo… O algodão da blusa, a madeira do móvel ou em maior escala até a terra da plantação.

Meios de trabalho incluem as ferramentas ou instrumentos utilizados para que o produto X seja concebido. Eles podem ser tanto em um âmbito micro, como pregos, martelos, serras, máquinas de costura (…) como em um âmbito macro, que pode incluir depósitos, armazéns, fábricas e toda e qualquer infraestrutura necessária para a produção.

Para resumir, lembrem-se: os meios de produção são o todo. Incluem objetos de trabalho e meios de trabalho.

 

Os modos de produção (alguns deles)

  

<http://www.ctc.puc-rio.br/inscricoes-abertas-para-mestrado-e-doutorado-em-engenharia-de-producao-do-ctcpuc-rio/>

 

Entender o conceito de modo de produção na verdade é tão tranquilo quanto entender o conceito de meio de produção. O que pega aqui, é que as ideias em torno dos modos de produção, e sua própria prática, sofreram modificações com o passar o tempo. Vamos falar das principais aqui, mas antes vamos entender o que é o modo em si.

Sempre tenha em mente que o modo de produção se refere ao macro. Quando falamos em modo de produção estamos falando em relações de uma sociedade (independente do seu tamanho). O modo de produção trata não só da produção de produtos, mas de toda a rede que os faz circular e os serviços que os acompanha ou não. Pode colocar essa ideia na conta do consumo (produtos ou serviços).

Ficou complicado? Vamos de exemplo.

Você é funcionário de uma grande cervejaria. Não é o mestre cervejeiro, é um funcionário mesmo… Daqueles que só estão na fábrica porque ainda não inventaram um robô para te substituir (ou eles são muito caros). Tipo um professor no setor na educação!

Vendendo sua força de trabalho você participa e ajuda no processo de produção da cerveja. Você recebe seu salário e consome produtos…

Vamos citar a cerveja como exemplo. Marca a reunião de família e percebe que é muita gente para sua geladeira véia de guerra. Liga para um serve-festas onde aluga uma caixa térmica/freezer e toda a apetrechagem que pode vir junto. Gelo, copos descartáveis, mesas e cadeiras pra veiarada sentar (…).

Olha só! Você, com seu pagamento não apenas consumiu um produto, mas também alguns serviços… E isso após participar ativamente da produção da cerveja. Esse conjunto todo (produção, consumo, serviços…) é o que chamamos de modo de produção. E isso vai variar de acordo com a sociedade/tempo em que vivemos.

O modo de produção seria o conjunto formado entre a força produtiva e todas as relações em torno dela.

Vamos ver alguns exemplos?

 

Modo de Produção Primitivo

  

<http://outdoorteologico.blogspot.com/2015/04/adao-e-eva-ou-homem-das-cavernas.html>

 

Nosso primeiro e mais antigo visto aqui. Estamos falando de um tempo em que o Estado estava ausente.

Não ausente igual no Brasil, ausente porque não existia mesmo. Até porque aqui notamos a presença do Estado em um monte de &#$%¨.

A ausência do estado e a condição primitiva da sociedade do período – eram pequenas comunidades – não incluía a ideia de propriedade privada. Tratava-se de um regime coletivo onde todos ajudavam na produção e todos compartilhavam os frutos.

Não, não é comunismo! ¬¬”

Como não havia a propriedade privada, os meios de produção também eram coletivos. Era um esquema bem de parceria mesmo, amizade, familiaridade.

Há quem diga que eram tempos mais simples!

 

Modo de Produção Escravista

 

<https://oparalelocampestre.blogspot.com/2012/08/lascou-se-marido-se-nega-lavar-louca-e.html>

 

Aí, em algum momento da história o pessoal pegou ranço dos comunistas primitivos e tiveram uma brilhante ideia: Vamos começar a tomar posse das coisas!

Esse pedaço de terra é meu. Esse rio está na minha propriedade, essa carroça é minha, essa vaca também, e ah… Por que não? Aquela pessoa também é minha! E não estamos falando romanticamente.

Mas como eu tenho muitas pessoas e não tenho paciência para decorar nomes vou chamá-los de escravos. Escravo 01, escravo 02….

Tá. Eu sei que não foi assim… Foi muuuuiiiito mais cruel!

Mas a ideia é essa. O segundo modo de produção que veremos é o escravista, e ele é marcado pela posse e sujeição dos meios de produção, que incluem terras, ferramentas e pessoas! As pessoas (escravas) são a força produtiva.

 

Modo de Produção Asiático

  

<https://giphy.com/gifs/G34pvxzPIfLgY>

 

Apesar da sugestão do nome, não é o mais eficiente.

No modo de produção asiático nós notamos com muito mais força a presença do Estado e a divisão da sociedade em classes.

Temos aqueles que fazem o que bem entendem, como querem, quando querem, e não respondem a ninguém no topo. Só para deixar o texto mais didático vamos inventar um termo para nos referir a eles. Vamos chamá-los de “políticos brasileiros”.

Abaixo temos principalmente duas classes. Os servos e os escravos. Podemos usar os termos fictícios “classe média” e “resto da população”.

A economia nesse período gira basicamente em torno da agricultura. A força produtiva é formada pelos servos e pelos escravos e claro, os meios de produção pertencem a alguém, quase sempre o Estado.

Esse modo de produção é chamado de Asiático devido ao contexto em que surgiu: Nas civilizações do Oriente Próximo.

 

Modo de Produção Feudal

  

<https://pt.wikipedia.org/wiki/Feudalismo_na_Europa>

Característico do período medieval, o modo de produção feudal mantinha semelhanças com o asiático, exceto que aqui era notável novamente a ausência do Estado.

A divisão era clara: você era senhor da terra (dono dos meios de produção) ou servo (força produtiva).

Apesar de os servos não serem considerados escravos, sua condição não o distanciava muito disso. Ele era preso à terra do senhor, prestando serviços que beneficiavam muito mais ao seu superior do que a ele mesmo.

A margem para que outros segmentos sociais evoluíssem nesse período era castrada pelos senhores feudais.

 

Modo de Produção Capitalista

 

<https://giphy.com/gifs/homer-simpson-the-simpsons-season-6-DTywu7YYjWCVW>

 

Amados por uns e odiado por outros. Não vamos entrar em debate sobre seus méritos aqui, mas esse é o modo em que vivemos.

Porém também é o mais chato, tendo passado por diferentes fases ao longo da história.

Ele tem por base a relação de alguém quem manda e alguém que obedece.

Não, não… O nome disso aí é casamento amigo. No modo de produção capitalista quem obedece normalmente recebe um salário. Muito mais justo!

Claro que, de acordo com o período, a ideia de pagamento varia, porém, o conceito é o mesmo. Alguém é dono do meio de produção e alguém é a força produtiva.

 

– O modo de produção capitalista começa no final da Idade Média, e marca a transição do modo de Produção Feudal. Seria um pré-capitalismo onde vemos o renascimento do comércio e das cidades e o acumulo de capital de algumas pessoas (burgueses) que dará origem à próxima etapa.

– O segundo modo é o do capitalismo comercial. Mesma ideia, mas aqui vemos que o comércio é quem gira a roda, e o trabalho assalariado é muuuiiito mais notável do que no período anterior.

– O terceiro é o capitalismo industrial. Se quem antes detinha os meios de produção trabalhava com comércio, agora as verdinhas se encontram na indústria. E a história é a mesma. Alguém é dono do meio de produção (fábrica) e alguém trabalha nela (operário) = força produtiva.

– A última etapa é a do capitalismo financeiro. Você achava que as fábricas davam dinheiro? Tolinho! Bancos e instituições financeiras é que sabem viver!!!! Através do seu capital eles controlam tudo (da agricultura à outras fábricas) e colocam uma divisão muito maior em que o nível da força produtiva torna-se bem mais alto.

 

Modo de Produção Socialista

  

<http://www.controversia.com.br/blog/2016/08/29/o-conceito-marxiano-de-fetichismo-da-mercadoria/>

 

Tente se lembrar do primitivo aqui. Eles são meio que primos distantes. Exceto que aqui você notará a presença do Estado. Os grandes meios de produção pertencerão a ele.

E é isso. Não confundam com aquelas tontices dos especialistas de Facebook que vão começar a dizer que você vai dividir sua casa, coletivizar seu carro e essas #$¨*!.

A ideia é resumidamente essa. O que vocês acham? Algum pior que outro? Talvez o mais injusto seja o casamento. Uma discussão que… Bom… Já sabemos quem vai vencer.

Ótima leitura e um ótimo começo de ano!

 

Nos lemos!

Qual sua dúvida ou comentário sobre esse conteúdo?

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado

Quer receber notícias sobre Concursos Abertos? Cadastre-se em nossa newsletter


Sobre nós

Somos o Instituto Maximize de Educação, uma empresa especializada na preparação de Apostilas em PDF e Cursos Online para Concursos Públicos e Vestibulares.

Saiba mais