fbpx

Professor de História ou Historiador? Vamos acabar com essa dúvida e garantir que ninguém encontre problemas nas questões de ensino!

Por Matheus De Marchi 12 jan 2018 - 9 min de leitura
9 min

Cursar História parece algo bem simples à primeira vista. Você passou seus quatro ou cinco anos curtindo a quadra da faculdade, o bosque, as festas, as amizades e ocasionalmente em um momento de distração até uma aula ou outra. Pegou o canudo, bateu aquela foto com a família orgulhosa e finalmente é um historiador!

Pera… Você é um historiador?

Não…

Mas podem te chamar de professor de História!

Pera…

Podem?

A presença em sala de aula é a única diferença? Os dois fazem a mesma coisa ou não? Os papéis de ambos para a sociedade (ou para a escola) são os mesmos?

Pois é. A primeira vista é fácil definir as diferentes funções do professor de História e do historiador, onde atuam e qual seu papel no mundo, mas quando as questões apertam sempre ficam algumas dúvidas. Vamos falar um pouco sobre as diferenças de ambos e garantir as corretas apresentações de cada um.

Há muito, muito tempo atrás…

 Cursar História parece algo bem simples à primeira vista

Fonte: <https://gartic.com.br/taustaus/desenho-jogo/1279074453>

 (Nem tanto tempo assim). Mas ao menos nos primeiros momentos da faculdade havia quase um consenso (entre os calouros) de que nós seríamos professores de História e não historiadores. A explicação era super lógica e simples: entramos em um curso de licenciatura em História.

Poderia ser assim mesmo: licenciatura = professor. Bacharel = historiador.

Mas não é bem assim que funciona, e aliás, “escrever” História e ensinar História também já não é uma distinção correta entre as funções dos dois. Hoje, um projeto de lei define claramente (nem tanto assim) quem é ou pode ser chamado de historiador, e claro, atribui à função de professor aqueles que de fato ensinam.

 Vamos lá:

Projeto de Lei 4699/2012

 

Fonte: <http://somosaredeestamosnarede.blogspot.com.br

Correndo desde 2012, em março de 2015 esse Projeto de Lei foi aprovado. Sem entrar na parte jurídica, que não é minha praia, esse carinha trata da regulamentação da profissão de historiador. Quem é, quem não é e quem pode ser.

Lembra da distinção bacharel/licenciado? Esse PL acabou com isso, segundo ele Art.3º o exercício da profissão historiador, em todo território nacional, é privativo dos portadores de:

I – diploma de curso superior em História, expedido por instituição regular de ensino;

II – diploma de curso superior em História, expedido por instituição estrangeira e revalidado no Brasil, de acordo com a legislação;

III – diploma de mestrado ou doutorado em História, expedido por instituição regular de ensino superior, ou por instituição estrangeira e revalidado no Brasil, de acordo com a legislação.”

 

Ele não apenas define legalmente como historiador toda pessoa formada em ensino superior em História como “exclui” da profissão historiador toda pessoa que mesmo com experiência em pesquisa, produção, publicação e tudo o mais que acompanha esse processo não tenha diploma superior na área.

Não vamos entrar em discussão sobre o certo ou errado (já ouvi opiniões bem distintas), mas levando ao pé da letra, o que diriam por exemplo Gilberto Freyre e Caio Prado Júnior sobre isso? (Artes, Direito, Economia…). Não são historiadores? Polêmico…

E sobre a função? Mesmo sendo licenciado, basta produzir e não reproduzir? Segue um trechinho da lei:

Art. 4º São atribuições dos historiadores:

I – magistério da disciplina de História nos estabelecimentos e ensino fundamental, médio e superior;

II – organização de informações para publicações, exposições e eventos sobre temas de História;

III – planejamento, organização, implantação e direção de serviços de pesquisa histórica;

IV – assessoramento, organização, implantação e direção de serviços de documentação e informação histórica;

V – assessoramento voltado à avaliação e seleção de documentos, para fins de preservação;

VI – elaboração de pareceres, relatórios, planos, projetos, laudos, e trabalhos sobre temas históricos.

 É isso aí. Praticamente não importa o que você faça, se tiver o canudo (licenciatura ou bacharel, mestrado ou doutorado) você é um historiador. E claro, ensinando, também é um professor de história!

Você está fugindo do tema… –“

Eu sei, prometi uma coisa e vendi outra.

Mas calma! Essa primeira parte é importante para não termos dúvidas sobre o que somos, fomos ou seremos (particularmente eu me considero um professor e não historiador).

 Se legalmente está claro quem pode ser o que e as funções que quem deve desempenhar onde, agora vamos falar de verdade sobre os papeis dos historiadores/professores de história para a sociedade/escola.

O professor de História

 

Quem nunca se animou com aquelas aulas de História engraçadas e cativantes durante o nosso período escolar? Ou pior, teve um professor de História tão legal que se meteu a fazer faculdade de História pensando que ia ser um adulto tão legal quanto ele?

Sim, eu o culpo até hoje e guardarei rancor eternamente! 

Mas além de condenar inocentes estudantes a ingressar na aventura do ensino, qual o papel real deles para a formação dos alunos?

Toda a fala aqui acaba soando um pouco política ou papo de PCN. Mas não é fácil fugir disso. A função do professor de História hoje é tanto (ou mais) social quanto didática. O currículo faz com quem sigamos um conteúdo específico. Tudo bem até aí, a gente acrescenta, corta, pula, volta, planta bananeira e quando não somos engessados seguimos com o que importa. É legal que os alunos saibam algumas datas, alguns eventos e alguns nomes importantes. Mas é muito mais legal que eles saibam o porquê dessa importância.

(Ninguém disse que é fácil).

Isso não é feito passando informações para que os jovens acertem questões de múltipla escolha. Isso é feito quando o lado historiador encontra o professor dentro da sala de aula. Quando conseguimos trabalhar os conceitos pedidos no Currículo e que podem ser entendidos pelos alunos. O sujeito histórico, o agente de mudanças, indivíduos, grupos ou classes sociais. O entendimento do cotidiano e aquele link com o passado, a mudança que ocorreu e que ocorre porque alguém, alguns ou muitos assumem esse papel (do sujeito histórico) e iniciam as mudanças.

Aquele velho discurso sobre a educação ser a principal ferramenta de mudança está batidíssimo, e também está corretíssimo também. Nunca foi tão necessário. A nossa sociedade não anda nos seus melhores dias. Aquele exemplo que devia vir de cima, só vem como mau exemplo. Que aulas melhores que a de História para que os alunos se localizem? Qual o papel dele nessa sociedade? A qual grupo ele pertence? Existe diferenciação? Que relação há entre ele, sua comunidade, sua cidade, seu país? Ele é valorizado, reconhecido? Ele se vê representado? Se inspira nas pessoas certas?

Esse tipo de consciência crítica é moldada quando eles são instigados a pensar, mas pensar de verdade, escrever sobre, ler sobre, ouvir sobre, e não apenas assinalar uma resposta sobre. Os professores de exatas (por exemplo) também tem a função de criar um cidadão crítico, porém temos de reconhecer que é mais difícil fazê-lo entre funções e fórmulas do que entre discursos sociais ou textos históricos. É papel do professor de História não trabalhar com coisas antigas, mas tratar a História como ela é (ontem e muito, mas muito principalmente hoje). Buscar isso: um aluno crítico, capaz de se defender de preconceito, opressão ou exploração, capaz de identificar o injusto e fazer algo sobre isso é uma realização muito maior para um professor do que fazê-lo decorar a data da Independência do Brasil.

Como li em algum lugar (não me lembro mesmo). Buscamos criar um aluno livre, que se torne um cidadão livre e quem sabe, com alguma sorte e com muitos desses, tenhamos uma sociedade livre. Tornar os jovens em agentes de mudança (para a melhor) é parte do papel do professor de História.

E o historiador?

 

Fonte: <http://historiadorpensante.blogspot.com.br

 No Art.4º falamos sobre as funções do historiador. E não sobrou muito mesmo. Mas e o historiador dentro da sala de aula? É só o professor? Ali em cima um sábio e atraente homem =) falou que dentro da sala de aula ambos devem se encontrar. E como trabalharão juntos?

O professor deve ser o instigador, ok. Ao historiador junto dele cabe o lado técnico. É ele quem deve buscar a melhor informação e a melhor forma de passa-la. É o lado historiador que vai se especializar, atualizar, comparar e escolher o melhor material. Ser crítico e saber separar ou melhorar tudo o que “vem de cima” para que chegue da melhor forma para as salas. Cabe ao historiador pensar a História pronta que ele recebe e pensar se apenas repassa-la é o suficiente. Não tentar tornar o aluno em um historiador, mas ao menos mostra-lo o caminho para a construção do saber dele.

Fora da sala de aula, o papel é semelhante. Se o tempo de contar apenas a história dos grandes feitos e homens já passou, até a história do tio pipoqueiro da praça merece ser vista de forma real, sem distorções, compreendida e transmitida com o máximo de imparcialidade e legitimidade (o que nunca é fácil). Que mal pode haver em quando puder também tornar alguns adultos livres?

E quem concorda?

Confesso que apesar de ler os PCN, conhecer esse PL e vez ou outra tocar no assunto com colegas, nunca prestei atenção de fato na discussão que isso gerou. Encontrei muitos fóruns em que as discussões entre quem defende a separação ou não de quem é considerado historiador ficaram acaloradas.

Independente do documento que vai classifica-lo assim perante a lei, acho que podemos sim encontrar a prática do historiador fora dos documentos das instituições de ensino. Adultos livres… Ou algo parecido com isso.

E você? Concorda com essa divisão?

Acha que o professor e o historiador estão muito distantes, principalmente dentro da sala de aula?

Compartilhe sua opinião e boa sorte nas suas provas!

Referências:

http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/TRABALHO-E-PREVIDENCIA/470458-CCJ-APROVA-PROJETO-QUE-REGULAMENTA-PROFISSAO-DE-HISTORIADOR.html
http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=559424
http://www.eeh2010.anpuh-rs.org.br/resources/anais/9/1279222823_ARQUIVO_laisa_nogueira_ANPUH.pdf
http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1038347
http://soprahistoriar.blogspot.com.br/2015/08/para-que-continuemos-na-luta-19-de.html>
Qual sua dúvida ou comentário sobre esse conteúdo?

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado

Comentários
  • suali 26 abr 2018

    ano que vem 2019 vou iniciar a faculdade de historia mas na minha cidade só tem ead e em licenciatura e meu sonho e ser historiadora e não professora de historia, apesar do texto ser bem esclarecedor ainda tenho medo de fazer licenciatura e não ser aceita como historiadora. oque devo fazer, sera que mesmo fazendo licenciatura poderei ser historiadora? deis de já obrigado.

  • mm
    Maxi Educa 30 abr 2018

    Bom dia Suali. Agradecemos sua participação em nosso blog. Esse assunto realmente gera dúvidas, menos pelo o que a PL diz, e mais pela própria visão que as pessoas tem na prática. Na verdade fica mais fácil responder essa questão de acordo com sua pretensão e não de acordo com as bases legais. Quanto ao curso que você pretende fazer. Por lei, hoje, a não ser que aconteçam alterações, você será sim uma historiadora. Em relação a isso não se preocupe! (Vou te deixar um link no final com a página de notícias do Senado com uma publicação de fevereiro desse ano que confirma a validade das mudanças) Por que eu disse que é você quem vai responder isso? A única coisa que vai diferenciar você como uma professora de História ou uma historiadora é a sua ação. Por experiência própria eu posso te dizer que se você ficar apenas na sala de aula (independentemente do nível), apesar de a lei lhe reconhecer como historiadora, o meio acadêmico vai te “olhar torto”. Os historiadores são reconhecidos por suas produções. Se você parar na graduação, mas desenvolver pesquisas e trabalhos em quaisquer ramos com ligações históricas, o meio acadêmico lhe verá como historiadora. Se você continuar seus estudos e encarar um projeto em mestrado, doutorado... Com certeza te verão como historiadora! (Não se esqueça que em casos assim, é muito comum que a Universidade lhe coloque para dar aulas, rs). Você também pode ser professora e historiadora. Verá muito isso quando começar seu curso. Basicamente o que vai fazer a diferença não são as aulas, e sim a pesquisa, o desenvolvimento de algum projeto. Lembre-se que na Lei está estipulado que você nem precisa ter uma graduação em história. Fazendo uma pós graduação e desenvolvendo algum trabalho na área, já basta. Eu cito o meio acadêmico, porque no final é ele quem valoriza ou desvaloriza o historiador. Infelizmente pensar que a sociedade aceita/valoriza/enxerga é meio um utopia. Brasil né... Deu para pegar confiança quanto a isso? Se aceita uma sugestão, esqueça o que consta na Lei. Infelizmente o meio acadêmico ainda é bem tradicional, se é seu sonho ser historiadora, faça seu curso, e não pare! Corra atrás de uma pós (não tem problema ser EAD), faça pesquisas, desenvolva projetos, apresente trabalhos! Ainda é assim que reconhecem e valorizam os historiadores. E se sobrar um tempinho, pense com carinho na parte de abdicar de ser professora. Precisamos mais do que nunca de pessoas que façam a diferença nesse espaço. Espero que não tenha mais dúvidas sobre isso. E boa sorte no seu novo curso. Você vai adorar fazer História! https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2018/02/09/regulamentacao-da-profissao-de-historiador-vai-a-votacao-em-plenario Acompanhe-nos nas redes sociais. Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

  • Maria Izabel Teixeira Gusmão 05 jun 2018

    Sou estudante de História, e amei ler tudo isso que diz respeito ao meu curso. Vou estudar mais! Amo esse curso!

  • mm
    Maxi Educa 07 jun 2018

    Bom dia Maria. Agradecemos imensamente sua participação em nosso post. Posso dizer que você escolheu um ótimo curso! É quase errado dizer que cursar História é mais gostoso do que “trabalhar” História. Não sei se você já tem alguma preferência a respeito de qual caminho vai seguir. Independente dele, desejo que como historiadora você faça a diferença, seja na escola, seja na carreira acadêmica. E claro, não veja todo o abismo que colocam entre as duas opções. Nossa escolha de curso, talvez pela sua natureza, adora um conservadorismo. Rs. Mas devagar a gente vai mudando algumas coisas. Quem melhor, não é? Parabéns pela sua escolha. Tem o meu apoio!!! Boa sorte no que vem pela frente! Acompanhe-nos nas redes sociais. Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

  • Carla 26 jul 2018

    Segunda eu começo meu curso de História. Confesso que estou um pouco assustada e "perdida". Estou buscando mais informações sobre esse mundo fantástico. Suas palavras me ajudaram muito! Mas eu estou bem nervosa, apesar de ser um sonho estou iniciando com 0% de conhecimento!

  • mm
    Maxi Educa 01 ago 2018

    Bom dia Carla. Olha. Estar “perdida” é uma das partes mais gostosas de um curso novo. Ainda mais o de História. É nesse momento que as descobertas que fazemos ainda nos empolgam, animam... E também irritam! Rs. Infelizmente isso diminui com o tempo. Não deixa esse nervosismo atrapalhar essa fase boa. Tudo o que você vai precisar saber vai lhe ser apresentado lá. E caso você tenha alguma dúvida mais específica ou imediata, sempre pode dar uma corridinha aqui que a gente tenta te ajudar! Não sei qual sua ideia para o depois... Qual área você pensa/imagina atuar. Mas eu também lhe diria que pelo menos no início não se preocupe tanto com isso. Curte o curso que é sim uma delícia! Faz ele com dedicação. E deixa as preocupações pro final dele. Sempre tem tempo. Boa sorte nessa etapa nova. Tenho certeza de que você vai adorar fazer História! Temos alguns posts sobre História que você já pode começar a conferir, sou eu mesmo quem os escrevo, aproveite e deixe os comentários, que responderei com maior prazer: http://blog.maxieduca.com.br/professor-historia-historiador/ Acompanhe-nos nas redes sociais. Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

  • Alessandra 31 jul 2018

    Gostei muito do texto! Começo a cursar licenciatura em História nesse semestre. Na verdade troquei Pedagogia por História, pretendo continuar dando aulas... Gosto da idéia de ser um agente de transformação na vida de jovens.

  • mm
    Maxi Educa 02 ago 2018

    Bom dia Alessandra. Aproveito para agradecer sua participação em nosso post. Obrigado pelo comentário! De cara quero te parabenizar pela decisão! Não que pedagogia seja um curso melhor ou pior, mas o curso de História é muito gostoso de se fazer (sou suspeito para falar). Então não adianta? Você tem um pezinho na educação? É muito bom saber que mesmo nas dificuldades que encontramos hoje (e encontramos, não adianta disfarçar) ainda temos pessoas dispostas a encarar essa luta. Acreditar que ainda é possível fazer a diferença em algum momento na formação de alguém. Te desejo muito boa sorte nessa nova caminhada. E claro, que seja além de tudo, divertida! Acompanhe-nos nas redes sociais. Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

  • Carlos R Paladino 16 nov 2018

    Pois bem, não sou formado em história e vai lá se gosto muito dessa matéria (opa lá vem a lembrança do professor), sempre achei que professor de história e de um historiador serem profissões bem distintas, ou seja, aquela pessoa que dá aulas sobre temas que buscamos em livros e hoje pela Internet e que nunca pesquisou e construiu uma ideia da qual o conteúdo foi arduamente pesquisado, vasculhado, virado de cabeça para baixo e feito por um historiador que levou um bom tempo para escrever e depois colocar em ordem e diagramar para publicar pudesse ser chamado de historiador e não de professor. Só por meio de PL que não sei quem foi o autor para mudar. E como os repórteres esportivos brasileiros tratam a disputa de Interclubes (CONMEBOL x UEFA) como sendo mundial, quem sabe algum deputado crie uma PL para designar de Copa Intercontinental de Clubes para Mundia de Clubes. Mais ou menos por aí.

  • mm
    Maxi Educa 20 nov 2018

    Bom dia Carlos! Antes de tudo eu gostaria de agradecer sua participação. Carlos, como falei no texto, concordo com você. Apesar de pensar que deve haver um estreitamento nas duas esferas (acadêmica e escolar), a diferenciação deve ser mantida. O grande problema é que, por algum motivo, alguns professores se sentem ofendidos, ou abaixo dos historiadores. Mesmo sendo algo pessoal, não vejo motivos para esse sentimento uma vez que ambos se propõe a atividades diferentes. A respeito do seu comentário, o autor da PL é o senador Paulo Paim. Pelo menos em uma primeira olhada não encontrei referências em sua formação na área de História. Isso poderia ajudar a entender suas intenções, mas é mais provável que, como tudo que acontece naquela casa, isso seja exigência de outros... Enfim... Essa é uma designação que apesar de estar no papel, na prática não é muito levada em consideração. Poucos acadêmicos reconhecem professores como historiadores... Mas essa é uma outra discussão, mais relativa a alguns costumes engessados acadêmicos do que a qualquer PL em si... Mais uma vez agradeço o comentário. Espero que tenha boas leituras no nosso blog! Acompanhe-nos nas redes sociais. Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

  • Celia Nunes 05 fev 2019

    Estudo Ciências Biológicas, mas não consigo desvincular a história da minha área, enfim, penso(1) que a História é parte fundamental de todas as outras disciplinas. Amo conhecer a História de tudo que estudo. Penso(2) que deveríamos começar a estudar, depois do ciclo familiar, a nossa rua, bairro, cidade, Estado e por fim o nosso País, percebo que as vezes conhecemos muito mais de outros Países do que do nosso próprio. Tento repassar pra minha filha a História da nossa localidade(porque tal nome foi criado, adoro etimologia), nossos escritores, artistas locais, as nossa danças, artesanatos, e demais representações artísticas.Faço como posso dentro de minhas limitações. E quando converso com um professor de História, coitado dele, sai depenado de tantas perguntas, rsrsr.

  • mm
    Maxi Educa 07 fev 2019

    Olá Célia, Boa tarde!! Antes de tudo eu gostaria de agradecer seu comentário. Ficamos felizes com essa interação. Eu sou suspeito para falar sobre História, rs. Em todos os seus aspectos, macros ou micro ela é fantástica. Concordo com sua visão. Infelizmente a História que é ensinada nas escolas ainda bate muito a respeito dos grandes eventos e grandes personalidades (...). É claro que isso é importante, mas acaba passando a impressão de que apenas esses grandes eventos podem/devem ou merecem ser relatados. Nos anos iniciais do EFII algumas aulas são dedicadas à essa prática que você citou. A respeito da comunidade, da cidade, da região... Mas infelizmente reconheço que é um tempo/espaço muito pequeno perto de tudo. Fico contente em saber que você passa esse conhecimento para sua filha. Infelizmente não encontramos muitos pais assim por aí. Você disse que estuda Ciências Biológicas, mas não comentou se é professora. Caso seja, então eu entendo essa pegada, caso não seja, pense com carinho. Rs. Acompanhe-nos nas redes sociais. Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

  • Marcelo 01 abr 2019

    Olá, Matheus! Tenho 24 anos, vou completar 25 próximo mês, sou bacharel e Química mas não me encontrei na minha área, entrei muito novo na faculdade, sem maturidade para discernir melhor minha vocação. Sempre fui apaixonado pela História, e com o passar dos anos me encantei também com a filosofia, sociologia, artes, cultura, etc. Decidi tentar de novo, apesar de muitos me dizerem que pode ser um "atraso de carreira", vou entrar em uma graduação em História, e pretendo seguir carreira acadêmica como pesquisador e também professor, sempre sonhei com um doutorado. Seu texto me ajudou muito, me explicou muitas coisas, me fez refletir sobre outras e ter mais coragem para adentrar nessa nova aventura. Gostaria de saber se você tem algum texto/video ou qualquer outro material seu, ou caso não de alguém para indicar, sobre as diversas áreas possíveis para se especializar dentro da História. Desde já, muito obrigado!

  • mm
    Maxi Educa 05 abr 2019

    Olá Marcelo, Boa tarde!! Antes de tudo eu gostaria de agradecer seu contato e a participação no blog. E claro, obrigado pelo comentário positivo!!! Nosso tutor de química senta ao meu lado na empresa, e claro que fui tirar uma onda com ele após ler seu comentário. Bem-vindo ao lado negro da força... O lado de Humanas! E pelas áreas que você citou, dá para ver que apesar de ser formado em química, você é de humanas até o osso. Rs. Não se preocupe muito quanto à idade ou aos comentários sobre ser um atraso de carreira. Eu mesmo demorei a me encontrar na História e tentei outras faculdades (Desenho Industrial, tudo a ver...). Aliás, o curso de história exige sim um pouco mais de maturidade para trabalhar certos temas. Talvez se você o tivesse iniciado aos 17/18 anos, não aproveitaria tanto a faculdade. Sem mentiras, eu não tenho nenhum material pronto a respeito das opções que essa formação oferece, mas posso lhe adiantar. São muitas! Vamos deixar de lado o óbvio que é o magistério. Na carreira acadêmica, as possibilidades são infinitas, uma vez que suas teses possam seguir quaisquer caminhos dentro de uma linha política, econômica, cultural ou social. Ora, qualquer tema pode ser encaixado nessas justificativas (desde que você convença seu orientador e a linha de pesquisa da Instituição escolhida). Já vi projetos a respeito da História do Tereré no sul do país, o perfil cultural dos criadores de Saci-Pererê na região de Botucatu (SP) (você não leu errado) e recortes bem específicos como a mudança no perfil de das pessoas que consumiam cultura japonesa através da leitura de mangás... Enfím! Se você, apresentar uma boa justificativa, seu recorte pode ser praticamente qualquer um! Agora fora da área acadêmica, existem algumas áreas mais específicas. Todo o trabalho ligado ao levantamento e proteção de patrimônio histórico. Atuar na pesquisa de empresas que produzem conteúdo de mídia (vai de agências de publicidade a editoras) e até em escritórios, no trato de arquivos ou acervos. Na faculdade você aprenderá a trabalhar com documentos como ninguém! Tenho amigos que não pensaram duas vezes em enviar currículos para grandes escritórios. Em escritórios de advocacia, tem mais moral do que alguns advogados... Bom... As possibilidades são grandes. Mas torço para que você se encontre mesmo na área, e claro, independente do caminho que siga, dê aquela forcinha na educação, no tempo em que vivemos, precisamos mais do que nunca de professores de história. Desculpe não lhe enviar material específico. Espero que o comentário já ajude. Um abraço! E não se esqueça de nos acompanhar nas redes sociais. Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

  • Antonia 31 jul 2019

    Ola, estou fazendo licenciatura em história e nao sabia que seria historiadora, só professora. Obrigada pela informação. Gostaria de uma dica de pos graduação, obrigada

  • mm
    Maxi Educa 05 ago 2019

    Boa tarde Antonia. Como vai? Antes de tudo eu gostaria de agradecer por sua participação no nosso blog. Os cursos de pós-graduação estão diretamente relacionados aos seus planos para o futuro. Pelo seu comentário acredito que você iniciou o seu curso de História pensando na carreira de magistério. Isso não é um problema, existe um X número de curso de pós-graduação em História voltados para Educação. Não sei em que ano/termo você está, mas penso que é durante o seu curso que você encontrará aquela área da História que mais te atrai (não necessariamente você precisa “casar” com ela). Eu atuo principalmente em sala de aula e fiz pós em educação especial, algo que não tem necessariamente a ver com História (sempre gostei muito de História da Religião). Acredito que o seu objetivo para o futuro é que deve lhe direcionar a área em que você deve se especializar. E claro, apesar das dificuldades que enfrentamos, se houver possibilidade, faça tantas quanto possíveis. Boa sorte da sua decisão e no seu curso. Obrigado por deixar seu comentário!! Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW Um forte abraço!

  • Vini 23 set 2019

    Eu concordo com esse assunto de que " Professor também é um historiador " Afinal tanto um professor quanto um historiador fazem a mesma coisa como por exemplo "ir atrás da Real historia " Sem deixar dúvidas pra trás. Ainda estou no 3 ano do ensino médio e pretendo fazer historia ano que vem 2020. Com esse artigo que acabei de ler tive mais tranqüilidade em escolher minha vida profissional daqui pra frente. Obrigado por isso.

  • mm
    Maxi Educa 24 set 2019

    Olá Vini, tudo bem? Antes de tudo eu gostaria de agradecer por sua leitura e participação no nosso blog. Olha, tenho que lhe dizer que fiquei feliz e surpreso por sua escolha. Feliz pelo texto ajuda-lo e dar um impulso a mais em uma ideia que você já tem formada. Surpreso por ainda encontrar jovens dispostos a seguir qualquer curso que possa sinalizar uma passagem pela sala de aula como professor (não estou desconsiderando as muitas opções que existem, mas a possibilidade existe). (Nas minhas aulas já faz algum tempo em que ninguém ergue a mão quando pergunto sobre a faculdade de História). Gostei do seu comentário e espero que você não perca de vista o que falou. “Ir atrás da real História” não cabe apenas ao que aconteceu lá atrás, talvez isso seja mais importante a respeito do que acontece hoje no nosso país. Vou torcer para que você goste do curso e ele atenda as expectativas que você tem. E vou torcer mais ainda para que você mantenha sua bússola moral e ética apontada para o norte, não só entendendo, mas ajudando aos outros a entenderem algumas ideias que hoje parecem tão distorcidas (infelizmente). Um abraço e boa sorte!

  • LEO 22 jan 2020

    Gostei do texto! Ano que vem começo o curso de história, mas queria tirar um dúvida, meio boba, mas duvida é duvida. Um professor de história tem a obrigatoriedade de saber tudo referente ao passado de letra para qualquer situação? Já vi casos de alguns que diziam que só conheciam alguns assuntos superficialmente, que era necessário dá uma estudada antes de passar essa informação aos alunos. Poderiam me falar sobre isso? Obrigado

  • mm
    Maxi Educa 29 jan 2020

    Fala Léo! Fico feliz que tenha gostado do blog! Sua dúvida não é boba de maneira alguma e, caso você siga o caminho da docência, essa é uma situação que você com certeza encontrará: “saber tudo”. Respondendo sua dúvida...Não, você não precisa (é impossível) saber sobre tudo. Durante a graduação, com alguma variação dependendo da grade da instituição, você verá “tudo” em história de uma maneira geral. Eu explico: de acordo com as matérias você verá aspectos sociais, políticos, econômicos, culturais (...) em todos os períodos históricos (Pré-História, Antiga, Idade Média, Moderna e Contemporânea). Até aí é o que se espera, certo? Só que a “História do Mundo” é muita coisa mesmo. Você terá um bom conhecimento a respeito dos períodos, mudanças, revoluções, classes (...) E apenas isso. A partir dessa base (e dos principais eventos) você vai se especializar e adquirir mais conhecimento conforme a demanda. Vou me citar como exemplo. Minha faculdade trocou a matéria de História da Arte (sem dúvidas muito importante) por História Ambiental. E trocou mesmo! Cheguei às salas de aula com esse “buraco” na formação. Pensa que não passei alguns apertos com algumas perguntas? Claro! Coube a mim correr atrás do prejuízo... Um outro exemplo: Um professor de História que prepara seus alunos para um vestibular em Universidades do Estado de São Paulo tem um conhecimento focado diferente de um do Paraná (por exemplo). Você já ouviu falar do Império Kanem-Bornu? Pois é... Se for um aluno de São Paulo, provavelmente não. E nem os professores irão se aprofundar nisso porque não é um assunto com demanda de acordo com a grade cobrada. Portanto é normal que quem faz história não veja tudo, o anormal é você saber que não viu algo e não buscar esse algo. O papel da faculdade de História é lhe dar a bagagem para ir atrás/criar seu próprio conhecimento e filtrar o que lhe serve ou não... Sobre o professor que disse que iria dar uma estudada no assunto, valorize-o! É muito comum a pessoa não saber bem sobre algo e dar aquele “migué” porque não quer parecer incompetente frente aos outros. Meu... Isso é um grande erro! Além do risco de passar conhecimento incorreto, hoje, com a facilidade de acesso à informação, no dia seguinte algum aluno pode pesquisar de verdade sobre o assunto e questioná-lo. É melhor entregar depois do que entregar errado. Lembre-se disso. Ajudou? Obrigado pela leitura e pela participação! Um abraço!

  • FRANCISCO 23 jan 2020

    O Professor de história pode legalmente ensinar Filosofia, sociologia e Artes?

  • mm
    Maxi Educa 29 jan 2020

    Olá Francisco, tudo bem?? Antes de tudo eu gostaria de lhe agradecer pela leitura e participação no nosso blog. Francisco com raras exceções ele pode sim, mas existem condições. Eu vou entender que você está se referindo ao ensino básico (I ou II). Nesse cenário é legal que um professor de História ensine sociologia, filosofia ou artes como disciplinas correlatas. As disciplinas correlatas são aquelas que não são específicas ao seu curso (nesse caso, as de História) mas tem uma carga horária mínima de 160 horas em sua grade (por exemplo, dois semestres de sociologia). Se a grade da Instituição de Ensino oferece quaisquer matérias nessas áreas com carga horária de 160 horas no mínimo, legalmente o professor de História pode sim ensinar essas matérias. E isso vale em outros casos (entre biologia e química ou física e matemática por exemplo). Mas como falei no início, existem exceções. Algumas instituições (determinados centros de ensino médio/técnico por exemplo) pedem especificamente docentes formados na área. Um professor de História poderá substituir o de Artes (tapa buraco), mas não poderá ser titular do cargo. Para que assuma “de vez” é necessário pelo menos uma especialização na área em questão. Ajudou a esclarecer? Espero que sim! Nos lemos por aí Francisco! Abraço!

  • VSmendes 28 mar 2020

    "Livres" que pensem exatamente como eu quero, pois, nunca vou passar em sala de aula um autor antagonista, a função do professor de história hj não é ensinar história, é colocar o aluno em uma classe e instiga-lo à revolta, pois a revolta gera voto, e voto da poder, não temos mais aulas, temos comitês eleitorais, lamentável oq fizeram com a educação brasileira, mas ainda tenho esperança de que encontraremos um caminho.

  • mm
    Maxi Educa 31 mar 2020

    Olá Mendes, tudo bem? Você mostrou aqui dois sentimentos que acredito que muitos professores têm. A revolta pelo que chega de cima e a esperança de que as coisas podem mudar. Ainda que não pareça muito claro, como falei no blog, sempre existe um jeitinho de colocar o “nosso dedo” na aula independente do material ou da grade que nos enviam. Ainda existem professores que instigam e que tentam despertar a criticidade no aluno independente de discursos de apostilas. Esses casos dão uma aquecida na esperança que você citou. Mas concordo que também existem os acomodados que rezam toda a cartilha pronta. Não acho nem que é por má intenção, é cansaço da outra luta em que normalmente nosso lado só apanha (...). Mas vamos focar no positivo! Um grande abraço e muito obrigado por seu comentário! Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

  • Marta 13 jul 2020

    Olá! estou cursando o terceiro semestre de licenciatura em História... Faço EAD, e estou amando, sempre tive vontade de ser professora, mas sempre pensei em fazer pedagogia, ao menos por toda a minha juventude, quando realmente decidi fazer mudei de ideia e decidi fazer História, deixei de querer pedagogia porque eu não queria estar limitada a dar aulas somente para as séries iniciais, não que eu não ame crianças, muito pelo contrário... mas meu objetivo é dar aulas futuramente em universidades, então eu precisava escolher um curso específico, e de cara decidi por História, sempre gostei da disciplina quando criança e quando terminei meu ensino médio já adulta tive um professor de História sensacional, as aulas dele eram as melhores, então não demorei para me matricular no curso de História. Quero terminar o curso e já fazer uma pós, se Deus quiser... Penso em fazer Ciências da Religião. Gostaria que me ajudasse me falando um pouco do curso Ciências da Religião, se eu estaria fazendo uma boa escolha, gosto desse assunto, mas quero fazer uma pós que além de gostar vai somar no meu currículo... E entre uma pós e uma segunda licenciatura o que vai contar mais na hora que eu for procurar trabalho? E além de Ciências da Religião que outras pós me recomendaria voltada para o meu curso? Desde já agradeço pela atenção.

  • mm
    Maxi Educa 14 jul 2020

    Olá Marta, tudo bem? A respeito de suas dúvidas, informamos que nossos blogs possuem caráter meramente informativo e voltado para concursos públicos, que é nosso foco maior. Inclusive você pode ficar de olho em nosso site https://www.maxieduca.com.br/, para caso abra algum concurso nessa área. Um grande abraço e muito obrigado por seu comentário! Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

  • LÍVIA 19 jul 2020

    QUANDO CURSAVA HISTÓRIA, CONVERSEI COM MEU PROFESSOR, QUE HAVIA ESTUDADO DOUTORADO NA SORBONNE, SE PRECISARIA FAZER BACHARELADO PARA SER HISTORIADORA. ELE ME DISSE QUE HISTORIADOR SE FAZ NA PRÁTICA E QUE EU PERDERIA UM ANO E MEIO DA MINHA VIDA FAZENDO BACHARELADO. CONCLUSÃO, NÃO FIZ E SINCERAMENTE NÃO ME FAZ FALTA! JÁ FIZ PROJETOS DE PESQUISA E MONTEI STANDS, ORGANIZEI DESFILES CÍVICOS SOBRE DIFERENTES TEMAS NAS ESCOLAS EM QUE TRABALHO E SEMPRE RECEBI ELOGIOS PELAS PESQUISAS E RESULTADOS APRESENTADOS POR MIM E POR MEUS ALUNOS. ACALMEM SEUS CORAÇÕES E CONTRIBUAM COM A HUMANIDADE, ESCREVENDO UMA HISTÓRIA CRÍTICA, ATUANTE E TRANSFORMADORA. SUCESSO COLEGAS!!

  • mm
    Maxi Educa 20 jul 2020

    Olá Lívia, tudo bem? Que bom que gostou do nosso blog! Aproveite e navegue por nosso site (www.maxieduca.com.br), garanto que você também vai gostar. Um grande abraço e muito obrigado por seu comentário! Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

  • Diana 24 jul 2020

    Excelente texto. Vejo muito carinho em cada palavra! Infelizmente algumas coisas mudaram e os historiadores (bacharel/licenciatura) estão descontentes com a decisão de nosso presidente.

  • mm
    Maxi Educa 24 jul 2020

    Olá Diana, tudo bem? Que bom que gostou do nosso blog! Aproveite e navegue por nosso site (www.maxieduca.com.br), garanto que você também vai gostar. Um grande abraço e muito obrigado por seu comentário! Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

  • Maria Julia 12 mar 2021

    Bom, vou fazer a minha graduação em história e estou buscando por informações quanto ao curso de licenciatura, esse texto me esclareceu muitas coisas sobre a PL que regulamenta a profissão. Mas eu preciso ter certeza! Por desencargo de consciência, pra tomar a minha decisão! O curso de licenciatura irá me restringir só a sala de aula ? A ufpb só oferece o curso de história em licenciatura e eu queria bacharel, justamente pelo leque de possibilidades e por não querer estar em sala de aula, mas terei que mudar de estado. Estarei limitada só a sala de aula cursando licenciatura ? Obrigada!

  • mm
    Maxi Educa 12 mar 2021

    Olá Maria, tudo bem? A respeito de suas dúvidas, informamos que nossos blogs possuem caráter meramente informativo e voltado para concursos públicos, que é nosso foco maior. Inclusive você pode ficar de olho em nosso site https://www.maxieduca.com.br/, para caso abra algum concurso nessa área. Um grande abraço e muito obrigado por seu comentário! Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

  • Jeremias 14 mar 2021

    Ola boa tarde!! Gostei muito de ler este post, achei muito interessante. Vim buscar conhecimento e ajuda, pois eu comecei o curso em 2017 EAD e tranquei em 2019 devido a vários problemas pessoais e nesse meio me perdi... Quero retorna ao estudos agora em 2021 e sinto pouco de medo em continuar pois acho que estou 0% de conhecimento kk. Obrigado!!

  • mm
    Maxi Educa 15 mar 2021

    Olá Jeremias, tudo bem? Que bom que gostou do nosso blog! Aproveite e navegue por nosso site (www.maxieduca.com.br), garanto que você também vai gostar. Um grande abraço e muito obrigado por seu comentário! Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

  • José Neto Vieira Damasceno 15 mar 2021

    Me considero sim, um historiador, mesmo tendo um diploma de licenciatura e não de bacharelado, pois a partir do momento que sou levado a uma pesquisa inserida dentro de um arcabouço metodologico como forma de passar aos meus alunos a informação histórica correta e a partir do momento em que meus estudos de aprimoramento na profissão me levam a mergulhar em formações de caráter acadêmico, não aceito a ideia de que é apenas um pedaço de papel ( um diploma) que vai me tornar "menos historiador", de forma alguma!!!

  • mm
    Maxi Educa 15 mar 2021

    Olá José Neto, tudo bem? A respeito de suas dúvidas, informamos que nossos blogs possuem caráter meramente informativo e voltado para concursos públicos, que é nosso foco maior. Inclusive você pode ficar de olho em nosso site https://www.maxieduca.com.br/, para caso abra algum concurso nessa área. Um grande abraço e muito obrigado por seu comentário! Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

  • Heize luige almeida da matta 13 maio 2021

    Gostei muito das suas colocações sobre o curso superior em história. Sou formada em pedagogia e sempre gostei de história, me permiti a cursar mais uma graduação, obrigada por esclarecer minhas dúvidas e ampliar os meus horizontes.

  • mm
    Maxi Educa 13 maio 2021

    Olá Heize, tudo bem? Que bom que gostou do nosso blog! Aproveite e navegue por nosso site (www.maxieduca.com.br), garanto que você também vai gostar. Um grande abraço e muito obrigado por seu comentário! Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

  • Jorge willis 23 jan 2022

    Parabéns, belo texto!

  • mm
    Maxi Educa 24 jan 2022

    Olá Jorge, tudo bem? Que bom que gostou do nosso blog! Aproveite e navegue por nosso site (www.maxieduca.com.br), garanto que você também vai gostar. Um grande abraço e muito obrigado por seu comentário! Aproveite para nos acompanhar nas redes sociais: Facebook: https://goo.gl/fgnB61 Instagram: https://goo.gl/xe1LmU YouTube: https://goo.gl/REyOiW

Quer receber notícias sobre Concursos Abertos? Cadastre-se em nossa newsletter


    Sobre nós

    Somos o Instituto Maximize de Educação, uma empresa especializada na preparação de Apostilas em PDF e Cursos Online para Concursos Públicos e Vestibulares.

    Saiba mais