fbpx

Quais são as 03 ferramentas de gestão mais cobradas em concursos?

Por Clariana Ribeiro Nogueira 02 Maio 2016 - 2 min de leitura
2 min

iStock_000049661780_Full

O tema ferramentas de gestão, além de ser bastante cobrado pelas bancas de concurso, também desperta muitas dúvidas.
É fácil perceber quando se resolve uma série de provas de concursos que existe um padrão que sempre é cobrado com relação a estas ferramentas. É preciso saber reconhecer e diferenciar tais ferramentas, identificando suas características. Neste texto apresentaremos, em ordem de importância, os principais pontos sobre a matéria.
O ponto mais cobrado é o ciclo PDCA – também conhecido como Ciclo de Deming ou ciclo de Shewhart. A sigla refere-se às iniciais em inglês das palavras: Plan, Do, Check, Act. Em português, temos: Planejar, Fazer, Verificar e Agir.
É importante lembrar que, o Ciclo PDCA é verdadeiramente um ciclo, e por isso deve “girar” constantemente. Ele é aplicado sucessivamente nos processos a fim de buscar sua melhoria contínua. Seu objetivo principal é tornar os processos de gestão de uma empresa mais ágeis, claros e objetivos. Tem como função básica o auxílio no diagnóstico, análise e prognóstico de problemas organizacionais, sendo extremamente útil para a solução de problemas. Ela representa o ciclo de gerenciamento de uma atividade.
O segundo ponto é o organograma que se trata da representação gráfica nos níveis hierárquicos e departamentais de uma organização. É um gráfico que apresenta o “esqueleto” da organização, no qual se procura retratar como se constitui cada uma das partes, as relações de autoridade e de responsabilidade entre eles, o fluxo das comunicações e a interdependência entre os departamentos.
Representamos o organograma por meio de retângulos interligados entre si por linhas horizontais e verticais. Em cima estão os níveis hierárquicos mais altos (como presidência, diretorias) e mais embaixo temos os níveis operacionais e técnicos da organização. Uma observação importante é que nunca deverá vir o nome do funcionário.
Por fim, vamos entender o fluxograma, que é comumente confundido com o organograma. Observe que o fluxograma é um recurso que permite visualizar o caminho e o processo de trabalho a serem executados por um setor e/ou departamento, indicando o próximo passo a ser seguido.
Os fluxogramas são construídos utilizando-se figuras com funções específicas que traduzem cada passo da rotina representando não só a sequência do processo, como também a circulação de dados e documentos. O fluxograma é essencial para a melhoria dos métodos de trabalho e serve para ajudar a localizar, corrigir e eliminar movimentos desnecessários a fim de obter a melhor sequência de operações e facilitar o treinamento dos funcionários.

Qual sua dúvida ou comentário sobre esse conteúdo?

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado

Quer receber notícias sobre Concursos Abertos? Cadastre-se em nossa newsletter


Sobre nós

Somos o Instituto Maximize de Educação, uma empresa especializada na preparação de Apostilas em PDF e Cursos Online para Concursos Públicos e Vestibulares.

Saiba mais