Você saberia dizer como aplicar sustentabilidade nas casas (edificações)?! fique por dentro das dicas que temos para você

Por Maxi Educa 17 ago 2018 - 5 min de leitura
5 min

Hoje em dia muito tem se falado em sustentabilidade aplicado as construções, as famosas “casas verdes”, mas você saberia nos dizer quais recursos que podemos aplicar nas construções?

Os meios de utilizarmos estes recursos e aproveitarmos ao máximo as fontes naturais, assim como projetarmos uma construção sustentável?

É o que veremos. Confira!!!

Antes de tudo: O que é sustentabilidade?

https://static.todamateria.com.br/upload/tr/ip/tripe1.jpg

Sustentabilidade é a capacidade de sustentação ou conservação de um processo ou sistema. A palavra deriva do latim “sustentare” e significa sustentar, apoiar, conservar e cuidar.

Todos os empreendimentos humanos devem atender, de forma eficiente e integrada, às necessidades sociais, econômicas e ambientais, dando origem ao tripé da sustentabilidade, conforme apresentado na imagem, que de símbolo tornou-se uma bandeira que representa o equilíbrio necessário para a longevidade das empresas, da sociedade e do meio ambiente.

A cadeia produtiva da construção civil

Construção sustentável significa que os princípios do desenvolvimento sustentável são aplicados à cadeia produtiva do empreendimento como um todo.

Isto abrange a extração e beneficiamento da matéria-prima, passando pelo planejamento, projeto e construção das edificações e obras de infraestrutura, até a sua demolição e o gerenciamento dos entulhos.

Os materiais deverão ser escolhidos de modo a minimizar a mineração e o extrativismo e contribuir para sua recuperação.

Deve-se reduzir o consumo de solo, água e energia durante a manufatura dos materiais, durante a obra e depois dela, e trabalhar de modo lógico, pensando na cadeia de produção dos materiais.

A casa sustentável

https://www.meuportoseguro.com.br/wp-content/uploads/2015/08/casa-sustentavel-700×300.jpg

A casa sustentável é um organismo vivo. 

Tudo deve estar integrado: devemos aproveitar o vento, a chuva, a luz diurna e o ar noturno, incorporando os princípios do biomimetismo[1], olhando o ambiente externo e visando à boa qualidade do ambiente interno.

Todos os sistemas e equipamentos dentro da edificação deve ser integrado propiciando o seu controle.

Uma casa sustentável possui autossuficiência ou pode ser superavitária em termos:

– de energia;

– utilização de águas pluviais;

– reutilização suas águas servidas (greywater);

– tratamento dos seus próprios resíduos líquidos e sólidos;

– possuir sistemas bioclimáticos eficientes para atender às demandas de frio ou calor e as condições de melhor qualidade de ar;

– atender a todas as condicionantes ambientais e;

– além do conforto, proporcionar uma melhor qualidade de vida para seus moradores.

A edificação atual deve se adaptar às exigências do novo mercado e contemplar os conceitos da sustentabilidade, evitando o risco da desvalorização pelo seu alto custo de manutenção e tornando-se amiga da natureza.

Um bom projeto contempla uma visão holística da obra, dando ensejo a um amplo espectro de atividades inter-relacionadas, que contribuem para que possa:

– ser executado em um tempo menor do que o convencional;

– ter acabamentos mais uniformes e perfeitos;

– diminuir os impactos ambientais;

– utilizar materiais naturais, reciclados ou recicláveis, de procedência local para fomentar o desenvolvimento regional e evitar custos de transporte;

– ter custos de construção menores;

– possuir menor risco laboral;

– reduzir o preço final para o consumidor.

Aspectos a serem priorizados

a) Aplicar princípios ecológicos desde o início, para evitar o aumento de custos. Caso as tecnologias sustentáveis sejam acrescentadas posteriormente, o custo da edificação aumentará.

b) Evitar especificidades funcionais, pois poderão tornar as edificações inerentemente inflexíveis.

c) Priorizar iluminação e ventilação naturais, e, se possível, com pátios internos, evitando plantas muito profundas.

d) Projetar visando à simplicidade operacional, uma vez que a simplicidade das instalações e dos sistemas construtivos permite sua atualização periódica e cria uma relação de respeito entre o usuário e o espaço habitado.

e) Projetar visando à durabilidade, pois uma construção de baixa qualidade pode converter em um fardo no futuro. As edificações duráveis e de baixo custo de manutenção podem ter um custo inicial mais alto, porém, ao longo de sua vida útil, economizam energia e reduzem os resíduos, representando um investimento mais sólido.

f) Para maximizar o uso de energias renováveis, a edificação deve ser orientada corretamente (com a fachada principal voltada para o equador); possuir uma inclinação adequada (de 30o a 40o na cobertura e de 60o a 70o na fachada) para instalação de painéis de aquecimento solar e módulos fotovoltaicos; estar suficientemente afastada de outras construções, para permitir a incidência de iluminação solar (em especial durante o inverno, quando os raios solares incidem em ângulos inferiores); evitar obstáculos aos fluxos de ar; e as coberturas devem ser projetadas para suportar geradores eólicos e acumuladores térmicos (boilers).

Novas soluções e técnicas sustentáveis para uma edificação

http://bucket-gw-cni-static-cms-si.s3.amazonaws.com/legacy/app/conteudo_18/2016/11/01/12098/Casa-popular-inteligente-na-OC2016-640px-011116.jpg

O projeto dos ambientes internos e externo alinha-se nas seguintes estratégias:

a) posicionar a edificação de maneira útil e eficiente, de acordo com a localização e entorno;

b) distribuir os espaços internos e seus elementos, de modo a permitir seu conforto ambiental e usabilidade consciente, sem deixar de contemplar a acessibilidade universal;

c) usar, de forma sustentável, recursos externos como elementos complementares ao conforto ambiental, priorizando a vegetação nativa tanto para sombreamento quanto para a produção de alimentos;

d) aproveitar recursos naturais disponíveis para redirecionamento e economia de energia, como coleta e reutilização de água de chuva no sistema sanitário e irrigação, e coleta solar de baixo custo para aquecimento da água;

e) priorizar a especificação de materiais locais, analisando seu ciclo de vida e impactos preservativos não tóxicos. Incluir a reutilização, ou reciclagem, de materiais de demolição quando possível;

f) integrar, de forma funcional, os subsistemas sustentáveis, alinhando-os à escolhas de eficiência e economia de recursos energéticos.

Esses são alguns aspectos importantes e relevantes para construção de casas sustentáveis.

Sustentabilidade é a capacidade de sustentação ou conservação de um processo ou sistema.

 

“Semear ideias ecológicas e plantar sustentabilidade é ter a garantia de colhermos um futuro fértil e consciente”. –  Sivaldo Filho

Se gostou compartilha e deixe seu comentário, sua opinião é muito importante para a gente!!!

http://bbel.uol.com.br/wp-content/uploads/55f2fba7-90c2-412b-ba05-70b3cf9c1701-5.jpg

Tutora Roberta A Hassib

Referências

https://www.todamateria.com.br/sustentabilidade
CARTILHA CASA SUSTENTÁVEL – CREA/MG
https://nachhaltig-in-graz.at/facebook-gruppe-nachhaltiges-graz/
[1] é a engenharia inspirada biologicamente. Simplificando, é o estudo e a imitação das melhores ideias da natureza para ajudar a resolver os desafios humanos: a ciência inspirada na natureza, se você assim preferir.

 

Qual sua dúvida ou comentário sobre esse conteúdo?

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado

Quer receber notícias sobre Concursos Abertos? Cadastre-se em nossa newsletter


Sobre nós

Somos o Instituto Maximize de Educação, uma empresa especializada na preparação de Apostilas em PDF e Cursos Online para Concursos Públicos e Vestibulares.

Saiba mais