Veja como identificar e evitar que as Fake News atrapalhem seu desempenho.

Por Matheus De Marchi 30 ago 2019 - 8 min de leitura
8 min

Fake News não servem apenas para brigar com a família no grupo do WhatsApp. Tão pouco para que o amigão chato que pensa que entende de política tenha assuntos para tornar a vida da galera mais infeliz. Na verdade, as não-tão-recentes, porém muito populares Fake News servem basicamente para atender a algum propósito ruim, afinal, são FAKE!

Você concurseiro também está sujeito a ser prejudicado… E não pense pequeno não… Esse tipo de conteúdo não lhe afeta apenas em questões que envolvam Atualidades, elas (as fakes) evoluíram e se tornaram o vilão ideal, pois aparentemente tem a capacidade de distorcer qualquer informação em qualquer tempo!

 

Fiquem conosco e vejam algumas dicas sobre como evitar e distinguir os conteúdos confiáveis ou não.

 

Seriam as Fake News a evolução natural das fofocas?

 

<https://giphy.com/gifs/wwe-cheers-sips-tea-spill-the-hQdWtl18ibA58nil8t>

 

Em partes! Ambas as práticas envolvem uma ação comum: o compartilhamento rápido, a disseminação desproporcional e a eventual alteração (exagero) de alguns fatos.

Porém a fofoca, nem sempre remete à uma inverdade. Fofocas envolvem xeretar, bisbilhotar e “fofocar” por exemplo o segredo de alguém. A Fake News para ser assim classificada precisa ser uma mentira.

Posso dizer que nosso tutor de matemática, apesar de ser um homem das ciências exatas, adota práticas “naturais” relaxantes e moralmente questionáveis por pessoas conservadoras normalmente ligadas às pessoas de ciências humanas.

Também posso dizer que nosso tutor de química, que é TOP, tem planos de se especializar em uma matéria mais rentável que envolva química recreativa.

Uma dessas afirmações é uma fofoca e uma é Fake News.

(Não, não vou falar qual é qual).

Mas notem que esse tipo de notícia (seja qual for) acaba causando maior interesse do que a guerra comercial entre China e EUA, por exemplo. Logo, ela atrai a atenção que eu quero para o blog e consigo atingir meus objetivos… Então posso deixar um pouco de lado termos bobos como “verdade” ou a preocupação de prejudicar alguém.

Entendemos? O primeiro objetivo das Fake News é atrair a atenção.

Já peguei sua atenção? Ótimo! Porque depois disso surgem as segundas, terceiras, quartas (…) intenções. Elas podem ir desde alterar a opinião pública sobre X assunto, amenizar ou aumentar a importância de X assunto, prejudicar ou beneficiar X personalidade em particular ou simplesmente atrair “cliques”. A lista é longa…

E o real problema são as pessoas principalmente por dois aspectos: primeiro porque tem tanta gente fazendo tanta idiotice por aí que quase qualquer notícia é bem possível de ser verdade mesmo. Segundo porque NÓS não temos alguns “bons hábitos” a respeito de notícias/informação.

Sobre o primeiro aspecto não podemos ajudar. O ser humano realmente anda se superando.

Sobre o segundo aspecto, vamos lá!

 

Redes Sociais não são confiáveis …

 

<https://giphy.com/gifs/crazy-ex-girlfriend-ex-girlfriend-the-cw-3ohc0Rnm6JE0cg0RvG>

 

… Portanto sempre, e eu digo SEMPRE você deve abrir a notícia que chegou até você seja através do grupo da família no WhatsApp ou grupo da empresa no Facebook (vale pra Twitter, Instagram, bate papo do UOL… Tanto faz!). Um hábito comum é simplesmente se ler o título, quando mais a descrição que vem com o link ou olhar a imagem e pronto! Estamos compartilhando e dando força ao Fake.

Então não importa se foi o namorado, a mãe ou o chefe que compartilhou, abra a notícia e veja pelo menos onde ela te leva.

Isso nos leva à segunda dica.

 

Preze pelas fontes confiáveis

<https://giphy.com/gifs/americasgottalent-relationship-goals-agt-xT8qBpp4VnoJhcej9m>

 

Agora que você abriu a notícia na sua página/site de origem você vai verificar detalhes simples.

Ele é um site conhecido? Por mais que você possa acusar alguns portais de tendenciosos, convenhamos que é mais seguro confiar em informações do G1 ou da BBC do que do blog de notícias batizado de Bigatao News.

Mesmo dentro desses sites mais confiáveis, caso haja tempo não custa nada abrir uma abinha no Google e procurar pela notícia. Você conseguir identifica-la em mais de um site confiável não só aumenta a chance de sua legitimidade como também lhe dará uma visão melhor sobre o assunto, afinal, como falei acima, um site pode ser confiável, mas também pode ser tendencioso para algum tipo de visão.

 

Saiba identificar bons conteúdos em outros lugares

 

<https://giphy.com/gifs/Y3TRqTGdysJqkOizDF>

Nem só de BBC e G1 vive a internet. Mesmo porque sabemos que as Fake News conseguem se infiltrar em sites de renome também. Não pela intenção ruim do portal, mas as notícias são feitas por pessoas e pessoas cometem erros… As vezes muita gente já leu o conteúdo até seu autor perceber que havia algo errado.

Então usem essas dicas aqui para os “outros lugares” e também para sites considerados confiáveis.

Primeiro, procure por data e pela correta apresentação do autor do artigo. A confiabilidade do conteúdo e do site passa pela correta apresentação e dos seus contribuintes e verificação dos conhecimentos deles sobre o assunto.

Você ler em um blog com conteúdo sobre Fake News escrito pelo fisicamente atraente e mentalmente brilhante tutor de História da Maxi Educa é viável.

Agora você ler um blog com conteúdo sobre “A Análise e Viabilidade do Desenvolvimento da Viagem Temporal através da Relação Empírica da Física Quântica com a Teoria das Cordas” escrito pelo cara aí que escreve educação na mesma empresa é questionável.

O serumano tem conhecimento sobre o assunto? Ótimo. Agora você deve verificar a data do material. Mais recente normalmente é melhor! Ainda mais se você tem intenção de consumir notícias visando concursos e provas.

Feito isso… Leia o conteúdo né!!! Entendendo que o site apresente seu contribuinte, e se você identificou que ele tem autoridade, ainda existem fatores que mostram ou não ser o conteúdo vale a pena.

O autor/site apresenta a fontes de onde retirou informações/dados? A escrita está de acordo com as normas da língua portuguesa ou tem um monte de erros, abreviações, gírias…?

Uma denúncia a respeito das questões ambientais no Brasil assinadas por um doutor em Biologia dificilmente terá erros no texto. E isso é para se prestar atenção pois os sites de Fake News podem sem nenhuma dificuldade atribuir conteúdo a pessoas com autoridade apenas buscando seus dados no Lattes (por exemplo).

Para fechar a questão dos sites. Verifique a URL e sempre desconfie quando existem muitos ADS pelas páginas (aquelas propagandas chatas). Hoje praticamente todos os sites usam de ADS, mas você deve desconfiar quando estes aparecem em excesso. Fake News atraem cliques e cliques geram renda!

 

Cuidado com os direcionamentos

 <https://giphy.com/gifs/hot-marvel-tom-hiddleston-nTQMPJfVUVs76>

 

Passadas todas as etapas “técnicas”, chegou a hora de utilizar o seu melhor julgamento e essa parte é mais difícil do que parece.

Vejamos como exemplo as últimas eleições onde só existe no MUNDO duas facções: aqueles que odiavam o Bolsonaro e aqueles que odiavam o PT.

(Veja bem, não falei que apoiavam).

Vamos supor que eu seja membro do bloco que odeie o atual presidente, qualquer notícia do período (ou posterior) que traga conteúdo negativo a ele naturalmente me deixa mais à vontade e menos crítico.

Essa falta de criticidade é a armadilha perfeita para que eu leve menos em consideração todas as dicas faladas acima.

E não importa muito que logo em seguida alguém que odeie o PT leia o conteúdo e verifique o mesmo não é verdadeiro. O trabalho do lado negro já foi realizado independente da veracidade, já atingiu um número muito grande de fanáticos de um lado ou outro.

 

Então use seu julgamento, seja crítico e tente se manter neutro (eu sei que hoje em dia é difícil).

Se um conteúdo direciona muito uma opinião a respeito de críticas ou elogios, se ele insinua que X pessoa ou grupo de pessoas tem postura muito benéfica ou maléfica, se ele sugerir ações que possam ser moralmente ou legalmente duvidosas que incluam violência ou desrespeito de qualquer tipo, pule fora!

O papel sério do jornalismo é apresentar fatos e forma isenta. Os fatos em si serem bons ou ruins é uma coisa que será atestada pelo próprio conteúdo e não pela opinião ou sugestão do autor. É necessário filtrar isso.

 

Os preguiçosos também podem filtrar!

 <https://giphy.com/gifs/lazy-bulldog-o6Hc5c9O387Nm>

 

Olha a hora da maldade!

 

Fiz vocês chegarem até aqui (espero) e ler todo o conteúdo sobre cuidados com Fake News. E isso foi uma vitória visto que você é a pessoa mais preguiçosa nesta página depois do autor do conteúdo.

Mas por que maldade?

Porque a última dica só envolve os úteis “crtl+c” e “crtl+v”.

 

Vou deixar aqui alguns sites que foram criados exatamente para fazer o trabalho que vocês apreenderam aqui. Eles verificam se uma notícia é fake ou não.

São bem práticos, mas nem por isso você deve depender apenas deles, afinal, ler nunca é demais!

 

Fato ou Fake

Comprova

Aos Fatos

Boatos

–  E-Farsas

 

E tem mais galera… Esses são apenas para exemplificar.

Pelo fim do compartilhamento de idiotices… Ficamos por aqui!

 

Espero que gostem da leitura!!!

 

 

 

Qual sua dúvida ou comentário sobre esse conteúdo?

Os campos com (*) são obrigatórios e seu email não será publicado

Quer receber notícias sobre Concursos Abertos? Cadastre-se em nossa newsletter


Sobre nós

Somos o Instituto Maximize de Educação, uma empresa especializada na preparação de Apostilas em PDF e Cursos Online para Concursos Públicos e Vestibulares.

Saiba mais